async='async' data-ad-client='ca-pub-1470782825684808' src='https://pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js'/> Ariane Baldassin


Meu Filho é Um Problema! O Que Eu Devo Fazer? - Conheça os principais Transtornos disruptivos da Infância


Planejados ou não, o fato é que assim que engravidamos e sabemos que estamos gerando ali um ser que, durante anos vai ser totalmente dependente de nós já nos dá um friozinho na barriga. Algumas mamães já começam a se preocupar mesmo na gravidez. Eu me lembro que enquanto uma amiga minha levava a gravidez com se estivesse comendo algodão doce e vivesse no País das Maravilhas, onde tudo era só açúcar, eu estava aterrorizada... pensava em como seria a educação dele, se eu teria condições de dar um bom estudo, como o mundo, e as drogas? Mas nada iria me preparar de fato para os anos seguintes, porque de fato eu teria que vive-los. E quanto eu aprendi - e ainda tenho que aprender - mesmo sendo mãe de duas.
 
Lendo um artigo da Dra Gesika Amorim é Médica Pediatra e Neuropsiquiatra com ênfase em saúde mental e neurodesenvolvimento infantil, sobre os principais transtornos disruptivos da infância, achei super bacana e resolvi compartilhar com você leitor e leitora porque julgo muito útil. Creio que com ele você poderá entender o porquê está cada vez mais difícil criar e educar seus filhos. Boa Leitura!
 



 

 

 

 

 

 

TRANSTORNO OPOSITIVO DESAFIADOR (TOD)

O TOD, ou Transtorno Opositor Desafiador, é caracterizado principalmente por um comportamento desafiador e desobediente a quaisquer figuras de autoridade. Começa na infância, a partir da idade escolar e é mais comum em meninos.

Como bem explica a Dra. Gesika Amorim, Neuropsiquiatra, pós graduada em Psiquiatria e Neurologia, e referência no tratamento do Autismo: “A criança não cumpre regras, se envolve em confusões constantes e nada lhe faz ter medo. Ela apresenta uma atitude desafiadora e contestadora a autoridade de qualquer adulto o tempo inteiro; se manifesta durante alguns anos ou a vida inteira, e pode ser incurável. Geralmente as causas que vimos são: predisposições neurobiológicas, fatores de risco psicológicos, ambiente social nocivo. Apesar disso, a criança pode se socializar e ter amigos da mesma faixa etária”. O tratamento é feito com sessões de psicoterapia, medicamentos e o acompanhamento de um neuropsiquiatra. 



 

 

 

 


 

 TRANSTORNO DE CONDUTA (TC)

O Transtorno da Conduta e usado para crianças e adolescentes, enquanto o Transtorno de Personalidade Antissocial, aplica-se a jovens a partir dos 18 anos.

São mais frequentes em meninos e suas principais características são as violações de regras, normas sociais e dos direitos individuais. Há desde questionamentos desafiadores à agressões físicas.

A crueldade é comum, inclusive com animais. Praticam bullying na escola, insubordinação, furtos, pequenos delitos, ações impulsivas, provocações, discussões, entre outros.

O TC vai muito além de uma desobediência infantil. É um comportamento constante que a criança tem e que pode ser progressivo.

Segundo a Neuropsiquiatra, Dra. Gesika Amorim, Eles não demonstram sofrimento ou constrangimento com as suas ações. Não sentem culpa e não se importam em ferir os sentimentos das pessoas ou desrespeitar seus direitos.

O tratamento envolve uma equipe multidisciplinar para lidar com a criança, mas pode ser imprescindível a administração de medicação por um neuropsiquiatra infantil e terapia, de preferência, estendida à família.








 
 
 
 
 
TRANSTORNO DE PERSONALIDADE ANTISSOCIAL (TPAS)
Este transtorno é caracterizado pelo desprezo pelos direitos e pelo descaso das consequências do mal que o indivíduo porventura, causa à outras pessoas. Pode ser notado desde a infância, mas seu diagnóstico vem na fase adulta, a partir dos 18 anos. A Dra. Gesika Amorim explica que o antissocial costuma mentir, manipular, infringir leis, não se importa com sua segurança e nem com a dos demais. Não tem nenhum senso de responsabilidade, não consegue sentir a dor ou emoção do outro e também não aprende com erros do passado. Não sentem culpa ou remorso, agem por impulsividade, não sentem nenhum tipo de temor e não conseguem distinguir certo e errado. Em suma, não tem EMPATIA.

A especialista também afirma que eles podem ser charmosos, sedutores e podem apresentar inteligência acima da média. Aprendem muito rápido a observar tudo e todos a sua volta, sempre pensando de que forma conseguirão extorquir ou ter vantagem ao manipular terceiros.

As causas podem ser genéticas, mas o ambiente nocivo; familiares com dependência química ou abusadores, são fatores relevantes, não só no TPAS, mas em todos eles.

O tratamento é feito com neuropsiquiatra e psicoterapeuta, envolvendo terapia e medicamentos.

A Dra. Gesika nos lembra também que, embora pouco comentado, não podemos deixar de falar de um transtorno que causa muita dor, mas ao contrário dos demais, o paciente se condói no sofrimento que causa, que é o: 
 
 




 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O TRANSTORNO EXPLOSIVO INTERMITENTE (TEI)
Também popularizado como Síndrome do Incrível Hulk, este transtorno é caracterizado por episódios abruptos de perda de controle com impulsos violentos; agressões verbais, discussões ou agressões físicas contra pessoas, animais ou propriedade alheia.

“A agressão no TEI não é premeditada e não tem nenhum objetivo claro. É comum a criança ser dócil e amorosa, mas por qualquer aborrecimento, por menor que seja, tem explosões absurdas. Pode ter sérios desconfortos emocionais seguidos de um grande sentimento de culpa, após seus episódios agressivos. Isto é o que difere este transtorno do TOD do TC e do Transtorno Antissocial. O sentimento de culpa após os eventos.” Diz a Neuropsiquiatra.

O tratamento é medicamentoso, feito com estabilizadores de humor ou neurolépticos, sempre associados à terapia.

Como dito, não há uma só causa que justifique nenhum destes transtornos. Todos podem ter causas genéticas, podem ser consequências do ambiente em que vivem e não há classe social privilegiada. O que se tem a fazer é que todos que cercam esta criança e adolescente, sejam pais, cuidadores e educadores, observem-nos em seu dia a dia e ao notarem algo que sai do comum, busque ajuda. Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, mais chances esta criança terá de viver uma vida normal e não desenvolver os demais transtornos, que podem sim, destruir toda uma vida e devastar famílias, complementa a Dra. Gesika Amorim.


CRÉDITOS:
Dra Gesika Amorim é Médica Pediatra e Neuropsiquiatra com ênfase em saúde mental e neurodesenvolvimento infantil. É pós graduada em psiquiatria, e neurologia clínica. É também referência no Tratamento de TEA- Transtorno do Espectro Autista com utilização de HDT – Homeopatia Detox – Tratamento Integral do Autismo E Medicina Integrativa.

www.dragesikaamorim.com.br
Instagram: @dragesikaautismo


LEIA MAIS

O retorno das aulas em 2021

Em coletiva do Governo do Estado de SP no dia 24/12/2020, estabeleceu-se um plano para a retomada gradativa regional da volta às aulas presencial nos municípios de todo o estado, de acordo com as fases de cada cidade (laranja/amarela/verde). Segundo o calendário, as aulas recomeçam no dia 1º de fevereiro nas escolas estaduais e terminam no dia 23 de dezembro, seguindo todos os protocolos de segurança preestabelecidos pelo governo.

 

O retorno das aulas presenciais do ensino básico têm gerado grande polêmica, não só no estado de São Paulo, mas no território nacional como um todo. Embora muitas famílias sejam a favor do retorno às aulas, segundo uma pesquisa realizada pelo Trocando Fraldas, 86% das mães e pais brasileiros não concordam com a retomada das aulas nesse momento.


Muitas são as opiniões a respeito. Se avaliarmos as condições das escolas públicas muita coisa precisa ser melhorada para que, de fato, alunos e professores tenham condições seguradas de frequentarem as escolas. Em se tratando de escolas privadas, haja vista as condições favoráveis como infra estrutura muito mais elaboradas como salas arejadas, maior acesso a álcool em gel e ambientes higienizados assim como suporte para medição de temperatura de alunos antes de ingressarem em suas salas de aula - em função até mesmo da quantidade de alunos. 


Uma coisa não se pode negar: a socialização de crianças, principalmente as que são filhos únicos em fase de educação infantil, são de fundamental importância. No ano de 2020, muitas crianças sofreram de solidão e até de ansiedade porque ficaram reclusas dessa convivência que tinham de estar e brincar com outras crianças, o que é fundamental para a idade delas, para o seu próprio desenvolvimento. Isso sem contar que mães e pais precisaram sair para trabalhar e nem tinham com que deixar seu filhos. Realmente foi um ano bem difícil. Mas o que esperar para 2021?





Talvez um dos grandes legados que essa pandemia tenha nos deixado quando o assunto é educação, é o  método de ensino híbrido, modelo que alia o aprendizado presencial e o online. Já em 2020, as aulas online, gravadas e ao vivo, se tornaram a principal alternativa para a continuidade do ano letivo. Também foi uma das opções para que os alunos pudessem manter contato com os colegas e professores. Com toda certeza essa será a tendência para o ano de 2021.

 

Na escola em que as minhas filhas estudam, já foi ofertada os modelos de aula presencial, com início no final de janeiro, e também on-line. Creio que, dependendo da fase em que a cidade estiver no plano São Paulo, teremos um rodízio de alunos na modalidade presencial a cada semana, adotando-se assim o modelo híbrido. Desta forma, as experiências presenciais e remotas serão somadas para potencializar o processo de aprendizagem dos alunos.

 

O modelo híbrido permitida o contato do aluno com professores e colegas, e ao mesmo tempo permitirá o acesso a aulas remotas. Será uma forma de estudo alternativo para mitigar a forma de contágio, reduzindo ao mínimo a quantidade de alunos nas escolas, ao mesmo tempo que permitirá também reduzir ao mínimo o impacto negativo que a falta do contato das crianças com o seu o ambiente escolar. Creio que temos ai o meio termo entre não termos aulas presenciais e mantermos também as aulas on-line.




LEIA MAIS

Tornozeleira de Concreto

Recebi essa pauta, um texto muito bem redigido pelo Jornalista e Advogado Fernando Rizzolo, muito bem contextualizado, que decidi compartilhar com você leitor, não apenas para leitura mas também para reflexão:

 


Enquanto se discute no Supremo Tribunal Federal a implementação do “Juiz das Garantias”, eu aqui sentado na minha poltrona, com uma pilha de livros de Direito e Medicina ao meu lado, comemoro, enfim, nove meses de reclusão dentro do meu apartamento. Faço isso por determinação de um vírus chamado SARS-CoV-2, ou coronavírus, que causa a doença chamada Covid-19, e por consciência de que, se eu me expuser por aí, vou me dar mal.

Na verdade, foram nove meses de confinamento e de entendimento de que o Brasil nunca foi tão triste, e que o povo nunca foi tão mal aconselhado por um governo negacionista que xinga, grita, maltrata jornalistas, e que dá o mau exemplo em termos de epidemiologia, sociologia, levando, portanto, milhões a se infectarem, assim como milhares à morte.

Segundo Bolsonaro, a culpa não é dele, mas a responsabilidade é, sim, do seu governo, que, após ter comprado o povo brasileiro pobre com uma ajuda financeira, o que foi bom e devemos reconhecer sua importância, o jogou para a esteira da irresponsabilidade sanitária, levando muitos a minimizarem o risco da contaminação e tantos outros a negarem os efeitos da contaminação.

Muitas vezes tento entender como o Brasil se tornou perigoso, e quanto sinto falta daquele Brasil de Tom Jobim, da melodia que acompanha as ondas do mar, em vez das investidas raivosas de uma parte da população extremista, egoísta, sem a menor empatia com o outro.

Perdemos na verdade o senso de “cuidar do outro”. Tudo que foi proposto na nossa Constituição de 1988, elaborada por homens de bem, se tornou questionável aos olhos dos homens que deveriam perpetuá-la, ficando então a cargo do STF o dever de constantemente observá-la, e, mesmo assim, ainda temos que, enclausurados, lutar pelos direitos fundamentais e pelos avanços já concretizados, como a figura do Juiz das Garantias. Temos hoje uma população carcerária de mais de 750.000 presos, muitos deles cumprindo prisão preventiva, e mesmo assim no pobre Brasil se discute algo já votado e consagrado pelo Congresso.

Que tempos estes em que o discordar recheado de maldade e pouca solidariedade com os pobres assolou o país. Que tempos são estes que me fazem ter uma tornozeleira de concreto, para que, não induzido pelo pouco caso em relação a uma doença contagiosa, me jogue no discurso delirante que faz a população pobre se infectar e promove a superlotação dos hospitais, principalmente os do SUS, que os amantes de Adam Smith querem destruir.

Quando se começa a acreditar que chegou a vacina, o presidente afirma que não vai tomar, ignorando a ética e a responsabilidade do cargo que ocupa e de certa forma induzindo a população ao mau caminho em termos sanitários.

Foram meses me dedicando a proteger minha saúde, pensando sobre o Brasil, um Brasil mais humanizado e mais imunizado, torcendo para que tudo um dia volte ao normal, e que este conjunto, concreto, precaução e indignação, seja libertado por uma vacina, que nos liberte de um vírus e principalmente de uma ideologia contagiosa.

Fernando Rizzolo é advogado, jornalista, mestre em Direitos Fundamentais

LEIA MAIS

Enem: a busca pela formação universitária é a meta

 


Se for confirmada a data para o início do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), previsto para o dia 17 de janeiro, quase seis milhões de candidatos iniciarão a disputa pelas vagas oferecidas pelas universidades do país. Na faixa dos 21 aos 30 anos estão 28% dos inscritos e as mulheres são a maioria (60%). As jovens com o perfil de sugar baby integram a categoria. Na plataforma de relacionamentos MeuPatrocínio, a pioneira do relacionamento sugar no Brasil, que concentra mais de três milhões e trezentos mil usuários, as sugar babies representam 66% dos inscritos. E, para 76% delas, a formação universitária é uma meta a ser conquistada ou já cumprida.

Com uma média de 23 anos de idade, a sugar baby deseja ser advogada. As outras carreiras em destaque são administração, enfermagem, pedagogia e medicina. O ranking das universidades é liderado pela Estácio de Sá, seguida pela Universidade Paulista (UNIP), Pontifícia Universidade Católica (PUC) e Anhembi Morumbi. Cerca de 87% frequentam universidades particulares e, com a pandemia, elas sentiram os reflexos da retração da economia. De um momento para o outro, perderam os empregos e a sua fonte de renda. Um dos maiores medos era ter que interromper os estudos, já que maioria está em plena fase de investimento na formação profissional. Em 2019, 23% das babies tinham a sua faculdade bancada por seus daddies. Em 2020, o percentual ultrapassou a faixa dos 40%. Como resultado da forte onda de desemprego e da desaceleração da economia, as jovens perderam as condições de continuar arcando com mensalidades altas dos seus cursos de formação e especialização. É uma condição que, segundo o levantamento realizado pela plataforma, pode ser observada em todo o território nacional, mas está especialmente concentrada nos grandes centros urbanos, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. Os mais de 300 mil homens cadastrados no site, com o perfil de um autêntico sugar daddy, passaram a investir ainda mais na formação das suas parceiras, principalmente quando a questão faz parte do acordo alinhado entre eles.

Dentre as vantagens do relacionamento sugar, as babies procuram unir o “útil ao agradável”, buscando alguém que possa contribuir para a continuidade da sua formação educacional e, ao mesmo tempo, vivenciar uma relação transparente e com objetivos alinhados desde o início, prevendo o custeio dos estudos e de cursos de especialização. Tudo acordado entre as partes. Como é o desejo de muitas ter um apoio assim, a plataforma MeuPatrocínio registrou um crescimento da ordem dos 80% no número de usuários desde o início da pandemia. Além de dedicar mais tempo para socializar virtualmente, buscar novos parceiros e aprofundar os relacionamentos já iniciados anteriormente, é o momento perfeito para, com mais liberdade, expor as necessidades reais que passam, inclusive, pelo caminho da formação universitária.


Sobre o Meu Patrocínio
Primeiro e maior site de relacionamento Sugar do Brasil, o MeuPatrocínio é a rede social mais exclusiva e elitizada do país. O estilo de vida Sugar reúne homens poderosos a mulheres jovens e atraentes para relacionamentos verdadeiros, transparentes, com acordos preestabelecidos e expectativas alinhadas. Hoje, em sua base de dados, a plataforma conta com quase três milhões de usuários. Todos submetem seus perfis e fotos à aprovação individual. Somente são aceitos maiores de 18 anos que devem aderir às condições e termos de segurança do site.

www.meupatrocinio.com

 

LEIA MAIS

O verdadeiro significado do "Distanciamento Social"

Nunca se falou tanto em distanciamento social. Do português distanciamento “ato ou efeito de distanciar ou distanciar-se; afastamento, espaçamento” e social “sociável; que prefere estar na companhia de outra pessoal”, usamos esse termo para nos referir ao ato de nos afastarmos de outras pessoas, principalmente no momento crítico do qual estamos vivendo, que é o de frearmos essa pandemia de disseminação do vírus da COVID 19, que se propaga em índice alarmante há mais de um ano no mundo.

A verdade é que vivemos sim momentos difíceis. O vírus está aí, se dissemina rapidamente e uma nova onda aterroriza estados, lotando a rede pública e privada de hospitais, aumentando o número de infectados e de óbitos. E se não bastasse, uma mutação do vírus ainda preocupa pesquisadores, por ser ainda mais perigoso pelo fato de ser ainda mais contagioso. E se não bastasse, muitas pessoas, na sua maioria jovens, ainda insistem em não tomar os cuidados básicos necessários como não manter justamente o distanciamento social, além de usar máscaras e fazer o uso contínuo de álcool em gel e lavar as mãos constantemente. Sim! Eles insistem em se aglomerar, fazendo festas aumento o risco de se contaminarem e levar o vírus para dentro de suas casas, contaminando os mais vuneráveis, que são os seus pais, na maioria idosos e com comorbidades.

Mas hoje eu quero falar do outro lado do distanciamento social, o que eu vou chamar do “verdadeiro lado do distanciamento social”.

Você já parou pra pensar no que de fato significa, ao pé da letra, quando aplicada esse conjunto de palavra no Brasil e, arrisco dizer, na maioria dos países subdesenvolvidos no mundo? Basta pararmos para pensar um pouco!



Essa pandemia criou um verdadeiro abismo social ... os ricos ficaram mais ricos e os pobres, muito mais pobres. Basta parar para pensar um pouco sobre isso. Quem foram as pessoas que mais ganharam dinheiro, diretamente com essa pandemia? Bom, os supermercados não pararam de funcionar durante a pandemia, pois são serviços considerados essenciais, e, como tivemos que ficar em casa, consumimos muito mais. Por outro lado, pessoas que trabalhavam em estacionamentos de faculdades, que eram autônomos em comércios, donos de cantinas em escolas, entres outros – eu poderia passar horas escrevendo inúmeros outros que perderam suas rendas durante a pandemia aqui. Alguns conseguiram auxilio emergencial, outros nem RG ou CPF tinham para tal. E como ficamos? Amargamos aumentando cada vez mais o tal do distanciamento social em um pais que já tem um diferença social imensa entre suas classes.

Mas eu tenho fé nos brasileiros. Somos pessoas excepcionais e com um coração enorme! Além de criativos. Muitos encontraram na crise uma oportunidade para mudar de carreira e conseguiram sim se reerguer porque tiveram uma oportunidade para tal. E foram muitos os casos de solidariedade que pudemos ver e também vivenciar. Mesas solidárias onde pudemos doar e também retirar alimentos. Ajuda mutua que foi muito bem vinda nesse momento crítico nunca antes vivenciada nesse século. Quantas histórias de superação. Uma lição de vida, de sobrevivência que eu espero que continue viva dentro de cada brasileiro, porque a vacina ainda não chegou e muitos brasileiros ainda precisam de ajuda.

Vamos manter sim o distanciamento social, mas que ele seja contra o vírus e não contra o preconceito. Que possamos abraçar a causa da ajuda alheia, pois muitos ainda não tem o que comer e contam com o pouco que recebem. E que esse distanciamento diminua a cada dia para que possamos viver em um pais digno de direitos igualitários para todos os cidadãos.

LEIA MAIS

Conheça a Wayrates: a sua nova marca!

Um novo ano está só começando e o que estamos procurando? Promoções para renovar o nosso closet. E a dica de hoje é pra você que carrega um espírito aventureiro, bravo, heroico e audacioso: a Wayrates é a sua nova marca!

A Wayrates ® é a loja online super descolada, que veste homens e mulheres atuais e aventureiros! Líder no mercado, a marca combina funcionalidade com moda, conveniência e muito conforto, definindo padrão para roupas e acessórios táticos para atividades ao ar livre em todo o mundo. 

Estudando o que há de melhor para trazer sempre novidades para o seu segmento, a marca procura ouvir seus clientes para aperfeiçoar constantemente seu portfólio de produtos, que é super completo. Na loja on line vocês encontram peças táticas como calças, jaquetas, suéter, coletes, shorts, camisas, camisetas, tênis, cintos, luvas, sacos e casacos masculinos. A marca traz ainda peças para recreações ao ar livre, caminhadas e acampamento, ciclismo e motociclismo, acessórios de equitação, chapéus, óculos, calçado, tudo para prática de esportes e uma sessão exclusiva de roupas e acessórios femininos.

Navegando pela loja online você irão encontrar muita, muita coisa bacana mesmo, e tem mais: a loja está repleta de promoções - o que a gente adora! Claro que eu não poderia deixar de separar algumas novidades pra mostrar aqui pra vocês né? então vem comigo!

Na sessão de peças táticas, tactical clothing, que é o carro chefe da marca, separei algumas peças que trazem um espírito super aventureiro. Suéter, T-shirts, Coletes, Cintos, Shorts, Calças e Jaquetas para montar um look super atual para começar o ano com tudo. Para inspirar vocês montei um look:



E eu não poderia deixar de mostrar também as camisas táticas que são as tactical shirts, super descoladas, com o espírito super aventureiros:










Ai vocês podem me perguntar: o que essas camisas tem de diferente? E eu já respondo: TUDO!!! Além de carregarem esse DNA aventureiro, bravo, heroico, audacioso, que é a proposta e o espírito da marca, os tecidos em que as peças são confeccionados são diferenciados. Alguns possuem secagem rápida, outros são respiráveis, outros multifuncionais, outras resistentes ao desgaste. São produtos certamente diferenciados que tornarão a prática ao esporte muito mais atrativa e vantajosa. Vale a pena conferir.


Gostaram da dica? Então acesse o site da Wayrates que tem muita novidade por lá e com promoção: 

Compre 3 e ganhe 40% - Item 4
Compre 5 e ganhe 70% - Item 6
Compre 8 e ganhe 100% - Item 9

E você ainda ganha 5% de desconto no primeiro pedido!

LEIA MAIS

2021: Um novo recomeço?

Encerramos o ano de 2020 com muitas dificuldades. Realmente não foi um ano fácil pra ninguém: miséria, desemprego, um caos na saúde pública, crianças sem aulas e muitas famílias ainda carregam a dor de ter perdido um ente querido. Para alguns o ano passou rápido - praticamente emendamos o carnaval no natal - para outros o ano demorou décadas. Realmente um ano atípico que entrará para a histórica. Um triste capítulo que não será esquecido com facilidade.


O ano foi muito dificil pra mim também. Muitos de vocês devem ter notado que me ausentei muito das redes sociais e isso não foi por acaso. Desde o início da pandemia, em março, as meninas ficaram sem as aulas presenciais, como todas as crianças. E com o início da quarentena e com todos os cuidados que tivemos que tomar, entre eles, principalmente o de cuidarmos da nossa saúde e, principalmente o dos avós das meninas, que são do grupo de risco por causa da idade, tivemos que ficar em casa. Aí começaram as aulas online. As minhas filhas são e sempre serão a minha prioridade número "zero" - vem mesmo antes do 1. Então tive que me dedicar ao acompanhamento das aulas no período da manhã, que eu normalmente usava para manter as atividades do blog. 


Não pretendo deixar 2020 pra trás, porque, no final das contas, foi um ano de muito aprendizado. Deixamos de ser egoístas e pensar mais no próximo. Compartilhamos da dor do outro, fomos mais solidários, mais humanos, compreensivos, resilientes. 2020 foi um ano de transformação e espero, no fundo do coração, que possamos usar esses aprendizados para nos tornar pessoas melhores. Entendemos que o dinheiro não compra a felicidade, não compra vidas, não compra paz de espírito. Entendemos que juntos somos mais fortes e que a ajuda vem de onde menos esperamos.


Embora 2021 não tenha começado bem - as chuvas e temporais já mostram o seu poder de destruição - ainda estou otimista de que podemos fazer valer esse ano. A esperança está ai: teremos uma vacina! Lutamos tanto e falta tão pouco... vamos fazer valer esse esforço. Vamos tentar mais um pouco. Vamos pensar em nós e no próximo. 


Muito me entristece ver cenas de pessoas se aglomerando em festas com centenas de outras, sem uso de máscara. Pessoas que insistem em se aglomerar. Quer passear? Não vou ser hipócrita, dizer que não. Puxa, quem é que não está cansado de ficar em casa? Ainda mais quem te filhos. Não é fácil ... cansaço, ansiedade, depressão. Vai viajar? ok! Evite lugares com muita aglomeração, use SEMPRE a máscara, carregue álcool em gel, sempre que possível lave as mãos. Evite tossir ou falar muito perto de outras pessoas. São cuidados básicos para proteger a si mesmo e as pessoas que você ama.


Vamos fazer valer o ano de 2021, afinal temos ainda mais 360 dias de páginas em branco para escrever!


LEIA MAIS

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários