Catapora: conheça os sintomas e os mitos e verdades sobre a doença

Principais complicações nos casos severos ou tratados inadequadamente, são a encefalite, a pneumonia e infecções na pele e ouvido.2


A catapora, ou varicela, é uma doença imunoprevenível altamente contagiosa causada pelo vírus Varicela-Zóster, que acomete principalmente crianças. A transmissão pode ser pelo contato com o líquido da bolha formada na pele ou pela tosse, espirro e saliva ou por objetos contaminados pelo vírus.2

A varicela pode ocorrer durante o ano todo, porém observa-se um aumento do número de casos no período que se estende do fim do inverno até a primavera (agosto a novembro), sendo comum, neste período, a ocorrência de surtos em creches e escolas. O risco de transmissão de varicela existe em qualquer lugar do mundo, especialmente nas áreas urbanas com grandes aglomerados populacionais.1

Entre 2000 e 2013, o Brasil registrou 7.113 casos de catapora. O maior número de notificações da doença (2.097) foi na região nordeste, correspondendo a 29,4% dos casos. Em seguida, a região sudeste com 1.794 (25,2%) e a centro-oeste com 993 (13,9%). O ano de 2013 apresentou o maior registro de casos de catapora (857), contra 181 no ano 2000, que obteve o menor índice.3

Prevenção
Uma forma de evitar a catapora é com a vacinação contra a doença. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomendam duas doses da vacina contra a varicela: a primeira aos 12 meses e a seguinte a partir dos 15 meses de idade, com um intervalo de 3 meses da primeira dose.4-5

Sintomas
Os sintomas da catapora, em geral, começam entre 10 e 21 dias após o contágio da doença. Além de manchas vermelhas e bolhas no corpo, a doença também causa mal-estar, cansaço, dor de cabeça, perda de apetite e febre baixa. As bolhas surgem inicialmente na face, no tronco ou no couro cabeludo, e se disseminam pelo corpo, se transformando em pequenas vesículas cheias de um líquido claro. Em poucos dias o líquido escurece e as bolhas começam a secar e cicatrizam. Este processo causa muita coceira, e as lesões na pele podem ser infectadas pelas bactérias das unhas ou de objetos utilizados para coçar.2

Evolução do quadro
O período de incubação é de 4 a 16 dias e a transmissão se dá entre 1 a 2 dias antes do aparecimento das lesões de pele e até cerca de 6 dias depois, quando todas as lesões normalmente se encontram na fase de crosta. Deve-se afastar a criança da creche ou escola por cerca de 7 dias, a partir do início do aparecimento das manchas vermelhas no corpo.2

Tratamento
No tratamento da catapora, em geral, são utilizados medicamentos específicos recomendados pelo médico para aliviar a dor de cabeça, baixar a febre e aliviar a coceira. Os cuidados de higiene são muito importantes e devem ser feitos apenas com água e sabão. Para diminuir a coceira, o ideal é fazer compressa de água fria. As vesículas não devem ser coçadas e as crostas não devem ser retiradas. 2

Mitos e verdades sobre a Catapora
A Dra. Evely Tanaka, Gerente Médica de Vacinas da GSK esclarece alguns mitos e verdades sobre a catapora:

1) Somente crianças podem contrair catapora
Mito: apesar de mais comum em crianças, qualquer pessoa pode contrair a doença ao longo da vida.6

2) Quem teve catapora pode ter herpes zóster no futuro
Verdade: qualquer pessoa que teve catapora em algum momento da vida pode desenvolver herpes zóster. Uma vez adquirido o vírus, a pessoa fica imune à catapora. No entanto, esse vírus permanece em nosso corpo a vida toda e pode, ou não, ser reativado e causar o Herpes-Zoster, conhecido também como cobreiro.2

3) Adultos não podem tomar a vacina
Mito: A vacina está indicada também para adultos que estejam susceptíveis e que não tenham contraindicações.6

4) Pode-se contrair catapora mais de uma vez
Verdade: Geralmente quem teve catapora fica imune, porém, em casos raros uma pessoa que já teve a doença pode não ficar imune, especialmente os imunocomprometidos.7

5) Todas as marcas de catapora na pele são permanentes
Mito: Geralmente as lesões evoluem para a cura mas algumas pequenas cicatrizes podem permanecer indefinidamente.6

6) Coçar a pele favorece a infecção bacteriana secundária
Verdade: Coçar as lesões pode favorecer infecções secundárias, que são as principais causas de internação de pessoas com varicela. A complicação mais comum é a infecção da pele, em geral pela introdução de bactérias nos ferimentos através da coçadura.6

7) Se a gestante já teve a doença, o bebê não precisa ser imunizado
Mito: a imunidade transferida para o feto pela mãe que já teve varicela, assegura, na maioria das vezes, proteção até 4 a 6 meses de vida extrauterina. 4-5-8

8) A contaminação é feita pelo ar
Verdade: o contágio acontece por via respiratória, mas também através do contato com o líquido da bolha ou pela tosse, espirro e saliva ou por objetos contaminados pelo vírus.2

9) Crianças com catapora podem adquirir pneumonia
Verdade: as principais complicações da catapora, nos casos graves ou tratados inadequadamente, são a encefalite, a pneumonia e infecções na pele e ouvido.2

10) Gestantes não podem tomar a vacina
Verdade: a vacina contra a varicela está contraindicada durante a gravidez.8,9

Sobre a GSK
Uma das indústrias farmacêuticas líderes no mundo, a GSK está empenhada em melhorar a qualidade de vida humana permitindo que as pessoas façam mais, sintam-se melhor e vivam mais. Para mais informações, visite www.gsk.com.br.


Referências:
1. CENTRO DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE PARA VIAJANTES. Varicela. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2017.

2. BRASIL. Blog da Saúde. Doenças da infância: catapora, 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2016.

3. BRASIL. Ministério da Saúde. Situação epidemiológica – dados, 27 março 2014. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2016.

4. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Calendário de vacinação da SBP 2017. Disponível em: http://www.sbp.com.br/src/uploads/2017/06/19717g-DocCient-Calendario-Vacinacao-2017.pdf . Acesso em: 29 jun. 2017.

5. SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Calendário de vacinação da criança: recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2016/2017. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2016.

6. CASTIÑEIRAS,TMPP. et al. Varicela. In: CENTRO DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE PARA VIAJANTES . Disponível em: . Acesso em 24 maio 2016.

7. Centers for Disease Control and Prevention. Varicella - Centers for Disease Control and Prevention. Pinkbook 2012; 1: 1

8. BRASIL. Ministério da Saúde. Guia de vigilância epidemiológica. 7. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. 816 p. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2016.

9. SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Calendário de vacinação SBIm gestante: recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) - 2016/2017 (atualizado até 28/10/2016). Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2016.

   
LEIA MAIS

Sexta-feira é dia de ... faxina! Ainda bem que eu uso Harpic!

Eu não ligo se às vezes tem louça suja na pia ou se a casa está toda decorada com brinquedos no chão (afinal tenho duas crianças aqui em casa). Mas o banheiro! Ah, esse tem que ficar impecável: limpo e cheiroso.

Imagina a minha alegria quando recebi esse press kit incrível da Harpic. Fiquei encantada só quando vi a embalagem. Muito capricho com quem realmente se preocupa com o bem estar da família, mantendo o banheiro limpo.


Esse kit é mesmo mega especial. Contém um jogo de toalhas e uma lixeira personalizada, para deixar o banheiro lindo, porque amo vermelho. E claro, o que não poderia faltar, os produtos na marca né? Todos eles vieram dentro da lixeira:


Que tal conhecer um pouco melhor os produtos Harpic:

Pedra sanitária:
A opção perfeita para quem quer um banheiro cheiroso, e o melhor, gastando pouco!

Pastilhas adesivas:
Além de serem super discretas, tem o melhor custo benefício da linha toda, pois garantem a manutenção da limpeza do vaso, deixando aquele cheirinho gostoso no banheiro!

Bloco higiênico: 
Super higiênico pois não tem cestinha e também evita o contato com o vaso, além de manter a limpeza do vaso e perfumar o banheiro!

Harpic caixa acoplada:
Esse produto também é bem discreto pois é usado dentro da caixa acoplada do vaso. Ele garante a limpeza do vaso ainda antes da descarga, e é o único da linha que proporciona coloração na água. Legal né?

Harpic líquido:
Além de limpar e perfumar, ele também desinfeta, eliminando 99,9%* dos germes e bactérias do vaso!
* Salmonella choleraesuis e Staphylococcus aureus

Harpic realmente me dá uma mão na limpeza e por isso eu super recomendo. Já useis todos os produtos da linha e gosto muito das pastilhas adesivas, caixa acoplada e claro, o Harpic líquido.

Vale lembrar que todos os produtos estão disponíveis em diversas fragrâncias que proporcionam ao banheiro aquela sensação agradável de limpeza.

Agora é com vocês. Aceite o desafio Harpic! Teste e escolhe o seu produto preferido!

Conheça mais sobre a marca acessando o site: www.harpic.com.br
LEIA MAIS

Acessórios e aplicações transformam roupas infantis em opções para brincar


Entender o público infantil e buscar soluções que cativem não só as mães e pais, mas também as crianças é uma das preocupações da Fakini. Em suas coleções, a marca catarinense tem investido em peças que trazem não só o personagem favorito dos pequenos, mas também transformam a roupa em uma opção de brincar.



Adereços como capas, máscaras, orelhas, além de aplicações e outros acessórios estão presentes em diversos produtos e tem se tornado um destaque da Fakini. “São detalhes muitas vezes sutis, mas que tornam as peças mais divertidas. Afinal, que criança não gostaria de vestir uma roupa que o transformasse naquele personagem favorito?”, comenta Daniela Bonin, gerente de produto da marca. Segundo ela, a proposta é unir o conforto e qualidade, que são fatores determinantes para os pais na hora da compra, com o universo lúdico, o que agrada o público infantil.

Para quem é fã do ToyStory, por exemplo, tem opções de camisetas com aplique bordado e enchimento que imitam as asas do Buzz Lightyear, um dos protagonistas do desenho. Os apaixonados pelo Batman contam com peças com a capa do super-herói. Na coleção de Alto Verão, um novo personagem ganha destaque: o Ben 10, que terá modelagens de camisetas com toucas que se transformam na máscara do desenho. Já para as meninas, vestidos que imitam a roupa da Mulher-Maravilha, BatGirl e SuperGirl, além de outras aplicações fazem sucesso entre elas. “É importante que a peça tenha um toque de fantasia, mas que seja usável em qualquer situação”, diz Daniela. Além destas variações na modelagem, a Fakini também investe em licenciados para se aproximar do público. Atualmente, a marca conta com mais de 12 personagens clássicos e de destaque mundial.

Sobre a Fakini
Com 22 anos de história, a Fakini é uma indústria com sede em Pomerode (SC). A companhia atua nos mercados infantil, juvenil e adulto feminino, com peças em malha e tecidos especiais. Os processos são verticalizados: da confecção da malha à costura, tudo é feito internamente. São cerca de sete mil pontos de venda em todos os estados brasileiros e em países da América Latina. A capacidade produtiva é de 1 milhão de peças ao mês.
LEIA MAIS

Brincando de salão de beleza com Calesita Brinquedos

Aqui em casa da hora em que se levanta até a hora de dormir, a Lara não pára um segundo de brincar. Sinal de que é uma criança feliz e saudável! Todas as sextas é dia de levar brinquedo na escola e ela sempre separa o que vai levar um dia antes, porque adora brincar com os amiguinhos. O bacana é que lá eles dividem os brinquedos e brincam com as coisas dos coleguinhas e todos se divertem juntos.

A Calesita, que é sempre parceira do blog, enviou um presente super legal de aniversário pra pequena. Mostrei no instagram mas vale um "repeteco" aqui:


Trata-se de uma maleta recheada com acessórios para brincar de cabeleireiro. Imagina só se ela não amou. Na manhã seguinte, mal acordou e já foi brincar.


A maleta vem com shampoo, secador, prancha, escova, pente, presilhas e vários acessórios bacanas.


 E enquanto a mamãe aqui tirava as fotos, a vovó passou por um tratamento capilar incrível.


Secando os cabelos.


Penteando os cabelos antes de fazer a pranchinha.


O brinquedo é tão legal que até a Lia se interessou. Olha ela ai brincando junto com a irmã.


E o mais bacana é que vem na maleta, que facilita o transporte. Tenho certeza que esse será o brinquedo que ela vai escolher para levar na sexta-feira para brincar com os amiguinhos da escola.


Super fofa e criativa essa maleta. Isso sem falar que os brinquedos da Calesita são de ótima qualidade e estão disponíveis para várias faixas etárias, incluindo brinquedos para bebês. Dá uma passadinha lá no site e confira.

Os brinquedos da Calesita podem ser encontrados em qualquer loja física ou em e-commerce que comercializam brinquedos.

LEIA MAIS

Look Baby: Conjunto de blusa e saia com sandálias

Eu sou muito suspeita pra falar porque amo looks de blusa e saia. Acho que fica super gracioso. No editorial de moda de hoje trago para vocês um lookinho super fofo, com cores e estampas lindas, que são da grife Bugbee.


A cor da blusa deu um contraste super bacana no tom de pele da Lia. Isso sem dizer que o mesmo bichinho da estampa da blusa é igual ao da saia, que tem pregas. O caimento ficou perfeito!

Detalhes do look fofura.



Para combinar optei por essa sandália nude, da Pampili que é uma graça:


Atenção aos detalhes dessa sandália fofíssima.Olhem só essas franjinhas que deixam o calçado ainda mais fofo. Ficaram perfeitos nos pés da pequena:


Pés fofos com sandália ainda mais fofa.

E ai gostaram do lookinho de hoje? Pura fofura! Do jeito que eu gosto, look com cara e jeito de criança.


Lia usa:
LEIA MAIS

Dormir: um hábito que vem da infância

Nas minhas trocas de experiências com outras mamães não é raro surgir o assunto do sono dos bebês e das crianças. A hora de dormir às vezes pode ser um momento traumático e turbulento. Os bebe brigam com o sono e se irritam facilmente, e mesmo chorosos resistem ao máximo irem para o berço. Já as crianças, mais crescidinhos, resistem em dar uma pausa nas brincadeiras, vestir o pijama, escovar os dentes e ir pra cama.


Estudos apontam que criar hábitos de sono adequados desde cedo é fundamental para o crescimento saudável, para o aprendizado e para o bem estar dos pequenos. Por isso o hábito de dormir, como qualquer outra atividade, requerer disciplina e deve seguir uma rotina. E o mais importante de tudo: deve ser aprendido por 90% das crianças quando ainda são bebês.

Você sabia que é na infância que 90% do hormônio do crescimento é liberado e que isso ocorre durante o sono? Isso mesmo! Os pequenos crescem enquanto dormem. Por isso, crianças que dormem pouco ou que não dormem direito podem apresentar problemas de desenvolvimento, de aprendizado e até outros relacionados ao comportamento, que vão de irritação ao mau humor. O assunto é sério e deve ser tratado como tal.

Que tal algumas dicas de especialistas para lhe ajudar nos momentos mais difíceis?

Qual o ambiente ideal para um sono tranquilo?
O quarteto precisa estar arejado. Deixe o sol entrar durante o dia e reduza ao máximo objetos que possam acumular muita poeira. Se seu filho for alérgico esqueça tapetes e cortinas. Paredes e tons claros são ideais, pois não excitam as crianças. Se seu filho tem medo do escuro use uma luminária mas com luz fraca (8 watts) em um canto do quarto facilita insônia porque o comprimento de onda dessa cor auxilia a sincorinizacai das ondas celebrais.

Quantas horas as crianças devem dormir?
Logo que nascem os bebês dormem em média cerca de 16 horas, divididas em períodos de três ou quatro horas. Vale lembrar que nessa fase eles ainda não sabem distinguir o dia da noite. Já a partir do sexto mês, eles passam a dormir mais no período noturno e, até o final do seu primeiro ano de vida, de 12 a 14 horas, ainda com duas ou três sonecas durante o dia. Aos dois anos, em torno de 13 horas, com uma ou duas sonecas diurnas. Em geral, aos três anos deixam a soneca da tarde e passam a dormir dez horas durante a noite. Com 5 anos, ainda devem dormir de nove a dez horas. Porém, existem crianças que precisam dormir mais e outras menos. Esse número de horas de sono fica constante até a puberdade, quando dormem um pouco menos é voltam a precisar de nove a nove horas e meia de sono na adolescência.

A falta de sono pode acarretar quais problemas?
Durante o sono ocorrem vários processos fisiológicos, como o trabalho de organização das memórias, a concentração e o aprendizado, além do crescimento e o desenvolvimento de vários órgãos e tecidos e a produção de hormônios, de células e de substâncias do sistema de defesa do organismo. Se a criança possui algum distúrbio ou um hábito inadequado que o leve a um sono insuficiente, todos os sistemas pode m ser afetados. Podemos notar isso quando a criança se torna irritada, chorona ou mesmo quando se recusa a participar de brincadeiras.

Crianças precisam de algum ritual para dormir?
A resposta é sim! É isso deve começar cedo, por volta do quinto ou sexto mês de vida. Deve se tornar rotina, para que o bebê possa se habituar e associar esse período agradável ao início do sono. Tudo com a luz apagada e somente com uma luz azul acesa. Aliás, a azul pode sempre ficar acesa pois não atrapalha a liberação da melatonina, hormônio que precisa do escuro para ser liberado e que auxilia a consolidação do sono. O ritual pode envolver um banho morno, trocar as roupinhas, Mamãe, colocá-lo no berço, cantar um música ou ler uma história.

Como contornar a resistência das crianças em relação à hora de dormir?
Questão delicada né? Aqui as duas sempre resistem ao sono da noite. Por isso mais uma vez vale a dica em insistir em um ritual. E vale lembrar que ele deve ser adequado para a idade de cada criança para funcionários bem. Esse ritual deve durar no máximo 30 minutos, período necessário para a criança relaxar e ir se desconectando. Mas calma se você não começou com a sua rotina quando o seu filho ainda era um bebê. Da pra começar agora. Tente montar um quadro de reforço positivo dando estrelinhas ou carinhas positivas todas as vezes que ele faz algo bom. Por exemplo: diga a ele que se ele dormir bastante ou ir pra cama sem chorar vai ganhar uma estrelinha e com isso vai poder ir ao shopping ou passear no lugar que ele gosta. Lembrando que os ganhos devem ser sempre simbólicos e nunca uma troca, e que os pais devem se comprometer a não quebrar um compromisso de só dar o prometido quando a criança tiver feito o que foi pedido.

O que fazer para a crianças relaxar quando em um evento fora da rotina a deixa agitada?
A resposta é: o ritual de sempre, ou abreviado. A criança entende que passpubda hora e, em geral, aceita que ele seja mais curto, isso quando não dorme mesmo antes de ser terminado.

Filmes mais pesados ou jogar games antes de dormir prejudica a qualidade do sono?
Sim! Aliás, uma hora antes de ir pra cama afaste seu filho da televisão, celular, tablets. Esse é tempo necessário para que a melatonina comece a ser liberada pelo organismo. Se for o caso esconda os aparelhos ou o controle da televisão e de preferências o seu livros.

Dra Marcia Pradella Hallinan é neurologista neuropediatra e coordenadora do setor de pediatria do Instituto do Sono.

Fonte: Revista Nestlé com Você | junho 2012 ano 14 nr 54

LEIA MAIS

O que por na lancheira dos pequenos? Confira as dicas!

O cuidado com a refeição é, com certeza, uma forma importante de se mostrar amor pelos filhotes. E é exatamente isso que acredita Camila Verdeja, mãe do Santiago, 4 anos, e fundadora do Pequeno Gourmet.

“Planejar e preparar pratinhos saudáveis e criativos para as crianças são formas de oferecer mais saúde e qualidade de vida. Além de incentivar uma alimentação diversificada e saudável, é um jeito de transformar o papá em uma hora divertida para os pequenos”, afirma Camila. E é bom saber que esses pratinhos, assim como qualquer receita do Pequeno Gourmet são bem práticos e rápidos de preparar.

A hora de montar a lancheira da escola ainda é um dos momentos em que os pais passam mais dificuldade. “Devem ser criativas, saudáveis, saborosas e práticas. Ufa! Realmente é um desafio, mas existem boas opções para facilitar a vida”, diz Camila, que reuniu as nutricionistas Fernanda Saccoletto e Mariana Vilela Strang para montar um cardápio semanal com opções de lanches e, assim, socorrer mamães e papais que estão precisando de ajuda. Confira!


Lanchinho
1 fruta + 1 pote de iogurte natural + 1 colher chá de mel (para crianças com mais de 1 ano) + 2 colheres (sopa) de aveia em flocos (bata o iogurte com mel e aveia no liquidificador).
Como embalar
Coloque o iogurte batido em uma garrafinha térmica e a frutinha embalada em filme de PVC ou picada dentro de um potinho.


Lanchinho
suco de fruta natural (pode ser o de uva integral, que é saudável e prático) + 1 sanduíche de pão integral com queijo branco ou com pasta de castanhas (boa opção para os alérgicos à proteína do leite).
Como Embalar
O suco deve ser colocado em uma garrafinha térmica e o lanchinho embrulhado em filme de PVC ou papel-alumínio.


Lanchinho
1 fruta + sanduíche com 4 bolachas de arroz e geleia sem açúcar (faça o sanduíche com 2 bolachas de cada vez) + chá gelado.
Como embalar
Os biscoitos em um potinho que feche bem; a fruta em filme de PVC ou, se for picada, em outro potinho com tampa; e o chá na garrafinha térmica


Lanchinho
1 xícara (chá) de pipoca de panela + 1 fruta + 200 ml de água de coco.
Como embalar
A fruta em filme de PVC ou, se for picada, em um potinho com tampa; a pipoca em outro pote com tampa; e a água de coco em uma garrafinha térmica.


Lanchinho
1 fruta + 1 pote de iogurte natural + 1 colher chá de mel (para crianças com mais de 1 ano) + 1 punhado de mix de frutas secas como damascos e tâmaras ou frutas desidratadas, maçã e banana (para crianças a partir dos 9 meses).
Como embalar
A fruta em filme de PVC ou, se for picada, em um potinho com tampa, assim como o mix de frutas secas ou desidratadas. E o iogurte na garrafinha térmica.


Lanchinho
1 fruta + 1 pedaço de bolo simples (integral de preferência) +
palitinhos de cenoura e pepino com pasta de ricota + água de coco
Como embalar
A fruta em filme de PVC ou, se for picada, em um potinho com tampa; a bebida em uma garrafinha térmica (ou já vem pronta). O bolo pode ser em um pote de plástico (se embalar no papel filme ou alumínio pode amassar), os palitinhos de legumes podem ser no papel alumínio, e pasta de ricota separada em outro pote. Coloque tudo na lancheira térmica.

Sobre o Pequeno Gourmet
A economista e influenciadora digital Camila Verdeja, 37 anos, foi uma criança com paladar muito seletivo, mas ao ficar grávida de Santiago, hoje com 4 anos, resolveu que o menino não seria como ela e investiu na formação do paladar do filho. Suas escolhas começaram a fazer sucesso entre as amigas do condomínio onde morava, que sempre a procuravam em busca de dicas e receitas. Foi então que surgiu a ideia de compartilhar suas experiências com outros pais. Assim, ela criou o Pequeno Gourmet, um espaço que apresenta receitas, notícias, estudos e muito mais sobre alimentação infantil saudável e que conta uma média de 63 mil acessos e 36 mil visitantes/mês únicos, tendo mais de 220 mil seguidores no Facebook e 8.457 no Instagram.
LEIA MAIS

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários