Vamos falar de um assunto sério? Violência sexual infantil

Ocorrências de abuso sexual contra crianças e adolescentes são mais frequentes do que se imagina. Ouvimos um relato aqui ou ali, muitas vezes em jornais ou mídias locais. Alguns casos ganham repercussões maiores, geralmente quando a violência e o abuso acabam resultando em morte. Mas a realidade é horrorizante! Entre 2011 e 2017, o País apresentou um aumento de 83% nos casos de violências sexuais contra crianças e adolescentes, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado recentemente pelo Ministério da Saúde.

Dias desses estava em uma dessas comunidades criadas por mães, que tem como objetivo principal trocar experiência. O saber agir e o como agir em determinadas ocasiões, principalmente quando se é mãe ou pai de primeira viagem. Nesse grupo apareceu uma mãe angustiada, totalmente perdida. Ela disse que não sabia o que fazer. Notou que não estava mais vendo a sua filha de 5 anos correr na festa de aniversário das amiguinhas e que resolveu procurá-la. Foi então que viu, no canto de um dos brinquedos - esses que chamamos de brinquedões porque empilham e sobem, porque são grandes, tem obstáculos e várias atividades), um garoto aparentando uns 11 anos colocando as mãos nas partes íntimas da menina. Ela pegou a menina, saiu da festa na hora aos prantos. Não sabia se falava com os pais do garoto, com a mãe da garota da festa, ou se chamava a polícia. Ela era separada e o pai não estava presente. Agora se coloque no lugar dela. O que você teria feito? 

E quem já não ouviu histórias de professores que abusam de suas alunas, que meninos que abusam de meninas mais jovens? Muita calma nessa hora! A especialista Anna Lívia Soares explica quais suspeitas devem ser investigadas e a importância da ajuda profissional. 


Para Anna, psicóloga do Hapvida Saúde, o diálogo entre pais e filhos estabelecesse uma relação de confiabilidade, que se torna uma importante medida. "Orientar a não permitir que pessoas a toquem e fugir de abordagens suspeitas quando adolescentes. Importante também, que quando a criança tentar falar alguma coisa, que ela se sinta ouvida e acolhida. Ou seja, que o adulto não questione aquilo que ela está contando ou que tente responsabilizá-la por algo ocorrido", explica a especialista.

Os pais devem procurar ajuda profissional mediante suspeitas, assim os sinais e a atitudes diferentes podem ser investigadas. "Dependendo da estrutura emocional, apoio recebido, durabilidade do ocorrido, grau de agressividade ou da forma que foi conduzida a situação será possível eliminar traumas com o tempo", reforça Anna Lívia.

É comum as vítimas desenvolverem diversos distúrbios psicológicos, como, quadros depressivos, ansiedade, transtorno do pânico, tentativas de suicídio, instabilidade de humor, problemas de comportamento e rendimento escolar. Existe também a possibilidade desse trauma seguir até a vida adulta.

Mas como identificar que um menor de idade próximo está sofrendo com abusos? A psicóloga do Hapvida Saúde aponta os principais indícios:

• Variações de comportamento: a possível mudança no padrão de comportamento pode ser um fator facilmente perceptível, já que costuma ocorrer de maneira inesperada. Se a criança nunca agiu de determinada forma e, de repente, passa a agir, ou começa a mostrar medos que não tinha antes e mudanças extremas no humor. A alteração pode aparecer com relação a um indivíduo específico, o possível abusador, ou a uma determinada atividade.

• Rejeição: manifestar recusa e reprovação no que se refere ao abusador em diversas situações. Neste caso, vale o bom senso para identificar quando uma proximidade excessiva está fora do normal. 
• Regresso a estágios anteriores: recorrer a comportamentos infantis que já tinha abandonado, por exemplo, fazer xixi na cama, voltar a chupar chupeta ou chorar sem motivo aparente.

• Segredos: para garantir o silêncio da vítima, o abusador pode fazer ameaças e chantagens ou usar presentes para construir uma relação. Por isso, explique aos pequenos que nenhuma pessoa mais velha deve manter segredos com ela que não possam ser compartilhados com a mãe ou o pai.

• Questões ligadas à sexualidade: apresentar uma sexualidade mais visível. Em outras palavras, quando a criança nunca falou sobre o assunto e começa a criar desenhos similares a genitais ou brincadeiras de cunho sexual.

• Sinais físicos: sintomas de violência sexual que deixam marcas físicas, como lesões, hematomas, dores e inchações nas regiões genitais.

• Situações de negligência dentro do ambiente familiar: descuidos e irresponsabilidade colocam a criança em uma situação de maior vulnerabilidade, por exemplo, passar horas sem supervisão, sem apoio emocional da família e maus tratos sofridos em casa.

Um dias desses uma amiga minha, a Psicóloga Gláucia Maia, especialista em psicologia infantil, enviou um livro eletrônico bem curtinho, desenvolvido justamente para alertar as crianças sobre abuso sexual de uma forma clara e concisa. Pode ser mostrado para crianças a partir de 2 anos de idade sem problemas. Eu assisti o vídeo e realmente ele é bem bom, didático e simples, e acho que vale mesmo a pena usá-lo como forma de  orientar os nossos filhos e ou mesmo alunos (se você for professor ou professora). 



A comunicação e informação pode salvar-los desses indivíduos malfeitores. Compartilhem o máximo que puderem, nosso único objetivo é proteger à quem amamos.
LEIA MAIS

Dica para essas férias: Roupas estilosas e Brinquedo Divertido!

As férias de julho chegaram e eu estou aqui para compartilhar uma dica super bacana para ajudar a gastar a energia dos pequenos - e a gente sabe que isso eles tem de sobra - e também propor algo diferente: o brincar fora de casa!

Vamos sair da rotina! Esqueça a televisão, o tablet, o smartphone. Procure um campo, um parque, um espaço bacana no condomínio. Vale qualquer lugar que não apresente risco para as crianças, como ruas esburacadas, ou carros e motos passando. E desfrute de um brinquedo que é pura diversão. O Patinete Trinet, lançamento da Calesita Brinquedos.


E como a gente faz quando tem só um brinquedo e duas crianças? A gente divide né? Enquanto uma dá uma voltinha a outra fica chorando. Depois é vez do revezamento da outra! E quer saber? Isso é saudável. Elas precisam aprender que compartilhar é necessário. Afinal, bolso nenhum aguenta comprar tudo duplicado ou triplicado não é mesmo? Mas ter o sorriso das duas meninas mais preciosas da minha filha não tem preço. 

Eu amei o brinquedo porque ele é mega seguro. São três rodinhas, duas na frente e uma atrás. E isso, além de proporcionar maior estabilidade, faz com que a criança aprenda mais rápido a brincar pois possibilita maior equilíbrio. A Lia, por exemplo, já saiu de primeira. Lá no meu stories (sessão destaque "trinet" IG @ariane_baldassin), você confere como ela pegou e saiu andando).



Procure sempre por roupas confortáveis e tênis quando for brincar de patinete. Aqui estava uma tarde não tão fria mas um ventinho gelado. Como Lia estava com resfriado e tosse, coloquei uma roupa mais quentinha e estilosa né? Eu amo a roupas da Brandili, que são confeccionadas porque a marca realmente sente muito amor pelas nossas crianças. 

A Brandili não pensa só no estilo não! A marca confecciona e comercializa peças super estilosas, charmosas, moderninhas e elegantes, para todas as ocasiões, de festas ao momentos de lazer, garantindo que a sua criança fique sempre bem vestida e o melhor, confortável para poder brincar.


Amamos esse conjunto lindo. Uma blusa no tom rosa bebe, com bordado em lantejoulas douradas. E que vem com bolsos nas laterais em zíper. Já a calça é puro estilo e conforto: uma legging florida nos tons pastéis que combinam o azul e o rosa em uma estampa floral bem delicada.


Bem vestida, super estilosa e lá vai ela, toda alegre para a sua diversão com o Patinete Trinet. E não esquecemos o tênis. Esse é super estilosos e confortável, da Klin.


O Trinet Calesita foi pensado com todo cuidado para que as crianças desfrutem do melhor. Como disse, possui três rodas, o que garante estabilidade extra para o pequeno, alta durabilidade por causa do seu material de boa qualidade. Aguenta até 70 Kg então tá liberdado pra Larinha também!

O freio fica na roda de trás. Basta pisar e ele vai parando. Fácil de montar e desmontar, permite que você leve o brinquedo para onde for. E você ainda encontra o Trinet disponível em três cores diferentes:


Ele desenvolve o equilíbrio e a coordenação motora dos pequenos, incentiva à criança a continuar brincando, novas descobertas serão feitas todos os dias. Brinque muito com seu filho e valorize a alegria de ser criança. Tenho certeza que como as meninas aqui, as suas irão amar.


Larinha amou e também se divertiu. Como ela é bem calorenta, ela mesma escolheu o seu look, bem irreverente. A blusa, também da Brandili, é de um conjunto com saia. Mas, para se sentir a vontade, ele preferiu esse shorts em brim da Figurinha Girls. E nos pés um tênis Nike que a mamãe trouxe lá de Orlando.

Enquanto a Lara dá sua volta - porque tudo aqui é planejado e controlado - Lia aguarda sua vez:


E assim elas passaram o seu primeiro dia de férias brincando. Que venham muitos outros não é?


Lara usa:



Lia usa:

Conheça mais sobre o Patinete Trinet Calesita acessando: www.calesita.com.br
LEIA MAIS

As férias de julho chegaram, e agora o que fazer com as crianças?

Vivemos em pleno século XXI, marido e mulher trabalhando fora para juntos complementarem a renda familiar e oferecem uma vida melhor aos filhos, que na maioria das vezes passam o dia todo na escola ou o período regular dentro dela e o outro período sob os cuidados de alguém de confiança, seja a avó ou uma babá. Aí as férias escolares de julho chegam e você fica naquele dilema. E agora? Deixo o meu filho em casa, pego uns dias de férias do trabalho pra curtir com ele ou procuro as tradicionais colônias de férias?


E quem disse que ser mãe e pai é fácil? Terceirizar a educação de um filho é! Então que tal vestir seu papel de verdade e curtir as férias ao lado do seu filho e estreitar os laços que os unem? Se a opinião de uma mãe valer pra alguma coisa, então eu deixo ela aqui. Se você tiver a oportunidade de tirar, nem que seja alguns dias de férias do seu trabalho para curtir com seus filhos, faça isso! Você não imagina como isso fará diferença na vida da sua criança. Os filhos pedem e sentem a ausência dos pais e ficam com eles, nem que sejam por apenas uma semana ou alguns dias, vai estreitar ainda mais os laços entre vocês e aumentar a auto confiança da sua criança!

Aproveito esse post para deixar algumas dicas do que fazerem nesses 30 dias de férias, variando nas atividades ...

Brincando em casa
Ficar em casa pode ser um programa legal para os dias mais frios ou chuvosos. Muito cuidado com a cozinha pois segundo estudos esse é o local onde ocorrem o maior índice de acidentes com crianças. Use aquelas grades de proteção para evitar que as crianças entrem no ambiente sem que você note.


Férias é um dos momentos mais esperados para se divertir com os pequenos. Mas também uma época que pede criatividade para gastar a energia das crianças, principalmente, quando passamos bastante tempo em casa. Para ajudar a escrever novas histórias e aproveitar o tempo com quem traz muita alegria e diversão para a nossa vida, preparamos algumas dicas.



Primeiro, tire aqueles jogos de tabuleiro do armário, separe o baralho, o pega-varetas e os mais divertidos que você tiver em casa. Afinal, as brincadeiras antigas nunca saem de moda. Acrescente nesta lista também jogo da velha, elástico, queimada, pega-pega, esconde-esconde ou qualquer brincadeira que tenha marcado a sua infância.



Para a criançada que não abre mão dos seus filmes e séries favoritos, prepare uma maratona no seu serviço de streaming. E não esqueça da pipoca para curtir com os seus pequenos. E por que não preparar uma playlist de música para marcar estes momentos? Ela pode acompanhar até mesmo o lanchinho da tarde.



Cineminha com pipoca e suco: cinema em shopping fica caro né? Então aproveite esses dias e monte um cenário legal. Coloque colchões no chão da sala, apague as luzes, faça pipoca e vale até um chocolate.

Montando cabaninha: pegue lençol e cadeiras, ou mesmo a mesa da cozinha e monte uma cabaninha. Vale fazer uma casinha e colocar muitas bonecas ou um posto de gasolina. Deixe a criatividade fluir.


Brinquedos educativos: vale quebra cabeça, blocos de montar, brinquedos novos ou mesmo os velhos. Só não vale deixar as crianças brincarem sozinhas.


Claro que deixar o filho no computador, celular ou btablet é muito conveniente. Liberar o uso uma hora por dia, desde que monitorado e não próximo a hora de dormir para não prejudicar o sono tudo bem. Mas não abuse. Aproveite os dias e busque alternativas ao ar livre.

Brincado ao Ar Livre

Aproveite os dias mais quentes e ensolarados para brincarem juntos ao ar livre. Visite parques ou zoológicos e conheça novos animais, plantas e crie um cenário para um piquenique. As crianças adoram!



Lara feliz da vida curtindo um dia de passeio no zoológico da cidade.

Que tal voltar a sua infância e brincar de soltar pipa ou pular amarelinha. Vale andar de skate, patins ou bicicleta desde que seja em um lugar seguro. Que tal uma piscina no clube?



Vale até mesmo uma semana em um hotel fazenda para passar mais tempo em contato com a natureza. Que tal brincar no parquinho?



Andar de bicicleta ou patinete é uma ótima pedida!







Ideias legais

E se faltar ideia do que fazer, super indico esse livro que tem uma proposta super bacana:


O  livro “101 coisas para fazer com as crianças antes que elas cresçam” é assinado pela jornalista (e mãe) Roberta Faria, e traz 101 dicas e inspirações bacanas do que fazer com o seu filho. Além de brincarem juntos, vocês ainda ajudam porque o livro traz essa proposta social super bacana!



Taí uma caixinha pequenininha, mais grande em ideias, e que não pode faltar na sua casa. Confesso que quando ganhei não dei a mínima importância. Mas um dia, estávamos eu e a Larinha sozinha aqui em casa e ela "mamãe, vamos brincar de alguma coisa"?, e depois de ouvir isso pela terceira vez, me lembrei da caixinha e resolvi abrir - já fazia um ano que estava guardada. Me surpreendi! São quarenta cartas e em cada uma delas uma ideia de brincadeira. Então eu pedia para a Lara tirar uma carta e se a atividade estava adequada para a idade dela nós fazíamos a brincadeira. Lembro-me que a primeira delas foi construiu um quadrado e depois alguns aviões ou bolinhas de papel e tentar acertar dentro do quadrado. Foi bem legal. Fica essa dica!


Esses livros, sejam só para colorir, ou com atividades de desenhar, ligar pontos, escrever, somar, subtrair, multiplicar, ou mesmo com atividades em inglês fazem sucesso por aqui. São ótimos poque além de curtir um tempo com seu filho você ainda ajuda no desenvolvimento psico motor.

Espero que as férias sejam boas por ai. Por aqui  já estamos nos programando!
LEIA MAIS

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários