Quer ser feliz? Então respire!

Como vocês sabem esse espaço é dedicado as mamães e aos papais, que buscam sempre dicas não apenas para cuidar dos filhos, mas para cuidar de si próprios. Os filhos são um reflexo da família e por isso mesmo eles só estarão bem se você pai ou você mãe estiverem bem.

imagem: reprodução

Agora pare e reflita: Quantas vezes você teve uma dificuldade, que no primeiro momento, parecia sem solução? Seja na parte financeira, emocional, profissional ou física! E quantas outras vezes a solução apareceu como que em um piscar de olhos? Cada caso é um caso, claro, mas a dica é sempre manter a calma, respirar e pensar!

Pense que esse "piscar de olhos" é uma prática que devemos aplicar de maneira conscientemente mais e mais em nossa rotina! Eu sei, vocês devem estar pensando: Mas o que seria isso? Como assim a solução "vai cair do céu"?.

Segundo a especialista Mariana Vieira, enquanto ficamos no racional, preocupados e tensos, não deixamos que o nosso inconsciente, que é o responsável por 95% das nossas ações, trabalhar de forma sábia. Ficamos muitas vezes "engessados buscando razão, muitas vezes nos culpando ou culpando o próximo, e consequentemente, nos afogamos no senso comum do "é impossível sair dessa", "não tem solução", "está tudo muito difícil", entre outros. Procure pensar de maneira positiva, pois mesmo as situações difíceis nos servem como um aprendizado.

Se você quer permanecer com os mesmo resultados que até então conquistou, continue fazendo exatamente o que já faz! Mas ao longo de nossas vidas precisamos mudar, e muitas situações nos levam a isso. O ser humano tem um potencial enorme de se adequar a novas realidades e ser flexivel, mesmo para os pais mais racionais. Mesma atitude, mesmo resultado! Entretanto, se deseja alcançar novos e melhores objetivos com mais conforto e confiança comece a ouvir mais o seu corpo e principalmente RESPIRE!

Repare nesse momento: como está a sua respiração? É quase certo que você deve estar subindo e descendo o peito para respirar! Agora, posicione-se de forma confortável e reta. Coloque a mão na altura do seu umbigo e se concentre em levantar o abdômen como se fosse subir a mão (o que chamamos de respiração pelo diafragma, também conhecido como respiração barrigão). Repita esse movimento, CALMAMENTE, por pelo menos três vezes de forma profunda e perceba a sensação do seu corpo! Essa prática pode até parecer "besteira", mas confie, não é!

Faça, pelo menos, 2 a 3 vezes ao dia, no mínimo por 21 dias! E em um "piscar de olhos" você se perceberá mais assertivo e calmo, pois estará trabalhando melhor o seu sistema chamado "corpo".

Ah! E antes de falar "Imagina, que bobagem! Impossível a respiração me ajudar a resolver a minha vida". Faça! E conheça um dos métodos de pessoas extremamente bem sucedidas e que não precisam de remédios ou químicas para que o corpo lhe proporcione o que deseja.

*Mariana Vieira – Hipnoterapeuta Clínica com formação internacional e especialista em Programação Neurolinguística pela The Society of NLP™ e sócia diretora da Roma Terapia.
LEIA MAIS

Muita cor e alegria com pássaros coloridos e ramos

Junte um vestido rosa, que as meninas são apaixonadas, com uma estampa irreverente e pronto! Look ideal para curtir os dias de calor com conforto e beleza.

Os pássaros para mim possuem um significado muito importante. Além de serem belos, trazem cor e alegria aos nossos dias, com seus cantos. E por isso mesmo sou contra manter essa beleza natural em cativeiros. O mundo precisa apreciar essas pequenas coisas no contato com a natureza, que ao meu ponto de vista, tem faltado um pouco na rotina das crianças.

Para o editorial de hoje separei um vestido rosa, peça e cor favoritas da Lara, com estampa de bichos e ramos que é simplesmente uma explosão de fofura. E o melhor: em contato com a natureza!


O vestido possui um formato soltinho, o que é bem legal para curtir os dias de calor nesse clima tropical onde temos poucos dias de frio intenso. 

Gostei muito da estampa na parte inferior do vestido - normalmente eles vem mais na posição peitoral - trazendo muita cor! Pássaros e ramos coloridos deixam esse look extremamente alegre e irreverente.


A irreverencia desse vestido faz com que a sua menina esteja não apenas com estilo, mas com o jeito doce e delicado de uma criança. Afinal, criança tem que ser criança.


Lara se divertiu em um hotel fazenda, curtindo as atrações com esse look maravilhoso. E por onde passava, distribuía um pouco da sua energia que irradiava não apenas pela beleza e pelas cores do look, mas pelo seu sorriso meigo e sincero. Estão vendo porque eu amo criança com ar de criança?

Para esse look vocês podem combinar uma rasteirinha, ou mesmo uma sandália, assim o toque final deixa o look ainda mais estiloso. Eu preferi combinar com tênis, porque amo vestido com tênis. E tem mais, esse tênis da Pampili tem cadarço em cetim e muito glitter, uma outra coisa que as meninas amam e que não pode faltar.


Esse vestido formoso é da Coleção Tropical da Elian e você pode comprar em lojas físicas multimarcas ou em e-commerce.


Tem ou não cores e muita alegria nesse visual super descolado?


Lara usa:
LEIA MAIS

Febre Amarela: saiba como se prevenir e prevenir seus filhos

Não só durante o verão, mas o ano todo, vivemos sob a tortura e o medo não apenas das picadas de insetos, em especial o Aedes Aegypti que pode transmitir doenças e que podem até deixar sequelas. No verão a preocupação aumenta sempre por dois motivos: o aumento da chuva e do calor, que facilitam a reprodução dos mosquitos e pernilongos, como maior exposição já que usamos roupas mais leves e curtas. Os mosquitos, além de oferecerem risco de reações alérgicas através de suas picadas, podem transmitir doenças, como os casos de febre amarela e dengue.

E agora, com a confirmação do primeiro caso de febre amarela urbana, ou seja, transmitida pelo Aedes aegypti, estamos retomando o assunto mais uma vez, pois o que precisamos é de prevenção e de alguns cuidados já que a Febre Amarela é transmitida pelo mesmo mosquito que a Dengue. Mais do que nunca, temos que estar preparados. Apenas com conhecimento conseguiremos vencer o mosquito.

Para que você possa entender um pouco mais sobre o assunto, seguem algumas informações fundamentais para a sua segurança e, principalmente, para a segurança da sua criança.


Aqui na minha cidade ainda não tivemos nenhum caso confirmado. Portanto, o pediatra das minhas meninas não autorizou a vacinação. Ele disse que os efeitos colaterais não justificam a vacina para uma área que não é considerada de risco. Portanto, antes de vacinar sua criança - ou mesmo se vacinar - procure sempre ouvir a opinião do seu médico.

Uma das maneiras de se prevenir contra a Febre amarela é o uso de repelentes E sempre fica aquela dúvida: como devo escolher ou mesmo aplicar adequadamente o repelente em meu filho?

A Dra. Samantha Talarico, Dermatologista e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), separou algumas dicas e recomendações para os papais, que estão certos de se preocuparem, pois existem restrições importantes para a preservação da saúde dos pequenos.

imagem: reprodução

É recomendado que os repelentes sejam utilizados em locais com maior incidência de mosquitos, como: praias, parques e fazendas. No momento da escolha pelo repelente, é fundamental que os pais optem por produtos aprovados pelo Ministério da Saúde ou pela Anvisa, pois assim serão garantidos a segurança e eficácia do produto.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os princípios ativos de repelentes recomendados são:

* Bebês com até 6 meses de idade não devem fazer o uso de repelentes e nem entrarem em contato com ambientes protegidos com repelentes elétricos. Nesse período a proteção contra os mosquitos deve ser realizada somente através de mosquiteiros, telas e roupas. 

* Para os bebês de 6 meses a 2 anos, também recomendo que seja evitado o uso destes produtos, devendo ser utilizados somente em situações especiais e sempre sob orientações médicas.

Recomendações importantes:
1) Não permitir que a criança durma ou permaneça com o repelente no corpo por período prolongado, este deve ser retirado com água e sabão;



2) Leia sempre as indicações e contraindicações do produto a fim de evitar complicações;


3) Não permita que a criança auto aplique o produto, evitando assim sua ingestão e sérias complicações, como a intoxicação;

4) Evite aplicar o produto próximo a boca, nariz, olhos ou em feridas;

5) Evite aplicar o produto sob roupas, uma vez que sua ação depende da evaporação, além disso, a oclusão com roupa pode favorecer o desenvolvimento de alergias;

6) Utilize quantidade suficiente do produto (recomendada pelo fabricante) para a proteção de áreas expostas, evite sua aplicação por de baixo das roupas;

7) Sempre aplique o produto em intervalos recomendados pelo fabricante;

8) Tenha preferência por loções cremosas para as crianças, pois são mais seguras;



Lembrando sempre que estes produtos podem causar reações alérgicas, por este motivo devem ser utilizados sempre sob orientações médicas. Os repelentes devem ser sempre os últimos produtos a serem aplicados, depois dos hidratantes ou filtro solares.

"Outras medidas complementares também devem ser adotadas para a proteção das crianças, como a utilização de telas em portas e janelas, a refrigeração do ambiente através de ventiladores e ar condicionado, a utilização de vestimentas claras, de preferência com mangas e calças compridas, a não aplicação de produtos com fragrância, e o cuidado com a limpeza e a dedetização do ambiente" reforça a Dra.
LEIA MAIS

Look do Dia: Vestido Florido

Alguns vestidos acabam roubando a cena... seja pela delicadeza, pelo modelo, pelo caimento, pela estampa ou pela produção. Como a Lara está na fase dos vestidos então o closet dela está repleto deles. 

Hoje no editorial de moda vou compartilhar um vestido que faz sucesso não só aqui em casa, mas quando saímos para o passeio também.


O que mais me chamou a atenção nesse modelo foi como a Fakini conseguiu conciliar uma estampa floral com um tom mais escuro. Mas foi justamente esse detalhe que deu ao modelo um toque diferencial. 


Amei o modelo, pois o vestido em alça é essencial nos dias de calor. Deixa o corpo transpirar o que é fundamental. Gostei muito também desse aplique em lantejoulas antes do caimento, que aliás ficou perfeito.


Para finalizar o look uma espadrille da Pampili, que é puro charme.


Lara usa:
LEIA MAIS

Índice de gravidez na adolescência no Brasil é um dos mais altos do mundo

Quando ficamos grávidas pela primeira vez o que fazemos? Vamos em busca de informações sobre esse novo universo: o da maternidade. Queremos conhecer a experiência de quem já é mãe, de quem esta passando pelas mesmas coisas que nós. No geral é comum que entremos em grupos já existentes, seja no facebook ou instagram para acompanhar mais de perto todas as transformações e novas experiências e mudanças que essa fase traz. 

E se você estiver pensando. Como você sabe? Bom, eu também passei por isso e foi assim que eu acompanhei a minha primeira gestação - e a segunda também, desta vez como xereta. Entrei em um grupo de grávidas no facebook e lá compartilhávamos das angústias, alegrias, sofrimento (de quem perdera um bebê) e também coisas do pós parto. O que eu posso dizer? Não entrem nessa fria! São informações ou dicas sem acompanhamento médico e histórias que, digamos, nada boas. Procure sempre uma boa fonte, como uma revista, uma amiga ou até um blog de alguém que você conheça.

Bom, voltando ao tema. Me recordo que nesse grupo haviam várias grávidas, para não dizer que eram a maioria, novas. Umas tinhas 15, outras 16 ou 17 anos. E eu sempre lia: "Isso foi o que Deus preparou pra mim, um presente lindo que eu vou amar pra toda vida". Essa frase é verdadeira? Sim! Mas não antecipem as coisas.

E ai eu sempre refletia: o que essa mãe adolescente, sem um companheiro, já que muitas relatavam que o pai não queria assumir ou que não tinham certeza de quem era o bebê, vão fazer após o parto. E o motivo disso? Eu já sabia o estava por vir.

Na minha primeira gravidez eu lembro que eu tinha uma amiga próxima, que tinha seus 20 anos, sem muitos recursos, pintando um mundo de fantasia onde tudo parecia perfeito. E eu, como estava? Bem, eu estava com medo, angustiada e muito apreensiva. Tudo isso porque eu, com os meus 33 anos, já madura - porém não experiente com a maternidade - me preocupava. Como será a minha vida daqui pra frente? Como eu serei capaz de suprir a necessidade de um recém nascido? Como vou conseguir educá-lo e criá-lo em um mundo cujo valores estão cada vez mais "deturpados". Como será a adolescência, os amigos, a faculdade? Isso sem falar nos gastos com fraldas, roupas, calçados, produtos para higiene e também leite (eu teria leite?). Mas conversando com um profissional eu fiquei tranquila porque ele me disse que a maternidade era isso mesmo! A preocupação, uma visão antecipada do que estava para vir, porque no final a frase "ser mãe é padecer no paraíso" é mesmo a mais pura verdade.

Então ficava pensando nessas adolescente que estavam imaginando um mundo lindo, curtindo a barriga. Como será que ficaria os seus estudos com uma criança em casa? Será que ela teria condições básicas emocionais para cuidar de um filho tão cedo? E condições econômicas - muitas relatavam que com 4 meses davam leite de vaca para os filho \0/. Isso sem falar que como tudo tem o seu tempo, elas iriam querer curtir as baladas, os amigos, as saideiras. Com que ficaria o bebê? Meninas, se cuidem. Usem preservativo, anticoncepcionais e aproveitem a vida, se tornem maduras e aí sim arrumem um bebê, porque ele será a sua preocupação até o último dia da sua vida.

Para tratar esse tema de forma mais profissional, trago hoje uma matéria escrita por Valéria Ribeiro, que é Coach familiar, especializada desenvolvimento humano.


A menina que se encontra nessa fase da vida, marcada por mudanças físicas e mentais, não está suficientemente preparada para a gestação.

Apesar de toda a informação e as campanhas de conscientização, seja na TV, internet ou mesmos nas escolas públicas e privadas, o índice de adolescentes que engravidam na adolescência, entre os 12 aos 19 anos, no Brasil, ainda é bem grande. Os números se comparam a países onde é permitido o casamento infantil, tais como Sudão do Sul, Índia e Nigéria.

Segundo estudo divulgado em 2013, foi constatado que, no Brasil, 12% das adolescentes de 15 a 19 anos têm pelo menos um filho. Em 2000, foram 750.537 bebês nascidos por partos de adolescentes de 10 a 19 anos. Nesse mesmo ano, o Brasil estava em 54º lugar no ranking mundial do índice de fecundidade em meninas entre 15 e 19 anos. Outro dado alarmante é que cerca de 30% das meninas que engravidam na adolescência acabam tendo outro filho no primeiro ano pós-parto. Em recente pesquisa no Estado de São Paulo, devido as políticas públicas implementadas, o índice diminuiu em 34%, mas somente para este estado.

Valéria Ribeiro, destaca inúmeras consequências na saúde de uma gravidez na adolescência:

• Anemia;
• Maior índice de aborto natural;
• Pressão alta durante a gravidez;
• Dificuldade durante o parto por imaturidade da pelve;
• Aumento no índice de rejeição ao bebê;
• Aumento da possibilidade de depressão pós-parto;
• Óbito da mãe e/ou do bebê.

Valéria conta que "a gravidez precoce também pode gerar conflito interior, pela insegurança financeira e as dificuldades em educar a criança, por isso, os adolescentes necessitam de cuidado, atenção e apoio dos pais. Entretanto, esse apoio da família nem sempre acontece, pois há pais que acabam, ainda nos dias de hoje, por expulsar suas filhas de casa, fato esse que acontece bem menos com meninos", explica.

A gravidez na adolescência leva vários adolescentes a deixarem de estudar e assumirem um relacionamento sério devido a gestação. Há também os que optam por abortar e, em alguns casos, ocorre o abandono do bebê logo após o nascimento. Na atualidade, 90% dos bebês que nascem de gravidez na adolescência acabam sob o cuidado dos avós, que cuidam e assumem a responsabilidade que não é deles, pois, os pais adolescentes ainda querem curtir a vida e viver como se nada tivesse acontecido. "Nesses casos é preciso encontrar um equilíbrio entre as responsabilidades dos pais e a ajuda dos avós, pois é preciso que esses adolescentes se conscientizem do ato cometido, para que, assim, não voltem a incorrer no mesmo problema", aconselha Valéria.

Muitas adolescentes quando se descobrem grávidas pensam em aborto e, muitas vezes, são incentivadas por seus parceiros que também são adolescentes. O aborto no Brasil é ilegal e põe em risco a vida da menina, pois esses procedimentos acontecem em lugares clandestinos. Nesses casos, é mais aconselhável deixar os bebês para adoção logo após o nascimento, assim poderão ter a oportunidade de terem um lar, bem como uma mãe e pai.

Cabe dizer, que essa não é uma decisão fácil e deve ser discutida entre os pais adolescentes e os avós do bebê que nascerá.

A gravidez na adolescência pode ocorrer por diversos fatores:
• Atividade sexual precoce e inconsequente;
• Violência sexual;
• Dificuldade no diálogo familiar sobre o assunto;
• Desconhecimento dos métodos para evitar a gravidez;
• O apelo midiático quando o assunto é sexo.

"Há diversos métodos contraceptivos, mas é principalmente recomendada a utilização de camisinha em todas as relações sexuais, não somente para evitar a gravidez, mas também para não contrariem doenças venéreas", alerta a especialista.

Porém, a melhor prevenção é que as jovens tenham uma boa educação sexual dentro do seio familiar. "É importante informar sobre os riscos e complicações da gravidez na adolescência e todas as mudanças que acontecem a partir do momento que engravida. O diálogo em família é essencial e deve haver uma conversa aberta e transparente para que as jovens tenham toda a informação ao seu alcance e possam ter atitudes responsáveis e não ter surpresas indesejadas", finaliza Valéria.

Valéria Ribeiro
Coach familiar, especializada desenvolvimento humano.
LEIA MAIS

Volta às aulas. Especialista dá dicas de segurança e alerta os pais

Pois é mamães e papais, as férias de verão estão acabando e os preparativos por ai devem estar a todo vapor. É sempre uma época complicada porque muitos pais e mães trabalham fora e não conseguem passar as férias todas com os pequenos. Então dá um certo alívio quando as aulas recomeçam porque sabemos que eles estão em um local seguro e aprendendo! E isso vale para quem é mãe ou pai em período integral, como eu, porque de fato cansa muito ficar o dia todo cuidando de criança com bateria "duracell" hahaha.

Mas olhem só que bacana! Marcos Roberto Araújo, especialista em segurança do GRUPO GR, selecionou algumas dicas para os pais e assim garantir a segurança de crianças e adolescentes nesse período de volta às aulas. Segundo o especialista em segurança, os pais devem orientar seus filhos para que nunca falar ou acompanhar estranhos, não aceitar doces ou presentes, além de prestar atenção em dobro ao andar desacompanhado nas ruas.

foto: reprodução

DICAS

- Não é recomendável que crianças carreguem celulares para não atrair a ação de criminosos.
- A criança deve ser orientada também a reconhecer e buscar ajuda com policiais, casos se sintam perdidas ou assustadas.

Antes de sair de casa
- Observar se não há ninguém suspeito nas proximidades da residência, pois os criminosos aproveitam o momento de distração para praticar os assaltos.
- Evite mexer em bolsas ou carteiras para entregar dinheiro às crianças, seja na saída de casa, no trânsito ou nas proximidades.

- Oriente seus filhos a utilizarem com discrição os celulares, notebooks e demais equipamentos eletrônicos. As crianças são vítimas potenciais dos bandidos, principalmente por não oferecerem maior resistência.
- Ensine a criança para que ela aprenda o próprio endereço, telefone, nome dos pais, nome dos responsáveis, e que procure um policial caso se sinta perdida, assustada ou ameaçada. A criança também deve ser orientada a evitar contato com pessoas estranhas, aceitar caronas, pois podem ser sequestradas.
- Caso a criança vá sozinha a pé para a escola, deve optar por andar em grupo no trajeto das escolas ou em longas caminhadas. Se possível, combine com vizinhos ou colegas de classe que façam o mesmo caminho para irem e voltarem juntos da escola.

Quando utilizar ônibus ou transporte escolar:
- Cuidado com bolsas ou mochilas transparentes, pois o marginal vai perceber que você leva documentos, dinheiro, aparelho celular, etc. E dentro do coletivo mantenha a bolsa, carteira, pacotes ou sacolas na frente do seu corpo.
- Em ônibus com poucos passageiros, procure viajar próximo ao motorista ou cobrador.
- Ande sempre com o dinheiro da passagem contado ou dê preferência ao vale transporte.

Ao dirigir com as crianças no carro
- Durante o trajeto para a escola, o pai ou a mãe deve estar atendo aos arredores, pois os criminosos se aproveitam da algazarra das crianças para furtar bolsas, celulares, relógios e outros pertences do motorista.
- As crianças, de acordo com a idade, devem andar no banco traseiro, nos assentos apropriados e indicados pela legislação em vigor.

A criança deve ter alguns cuidados básicos ao atravessar as ruas
- Não atravessar por trás de árvores, carros, ônibus e bancas de jornais, pois pode não ser vista por um carro que está em alta velocidade.
- Procurar ser visto ao atravessar as ruas e utilizar sempre a faixa de pedestres.

Espero que essas dicas sejam uteis. Aproveite para compartilhar com outros pais!
LEIA MAIS

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários