Licença Maternidade: Dicas para tornar este momento mais leve para a mãe que está prestes a retornar ao trabalho

Não, eu ainda não era mãe! Tinha na época apenas 16 anos e mal sabia como seria a jornada e a aventura da maternidade. Mas uma cena me marcou para sempre. Como estagiária, todos os dias de manhã eu ia até a copa da empresa buscar o café para os funcionários do departamento. Um dia, me deparei com uma conhecida minha, que chorava aos prantos.

Meio tímida, mas com a liberdade que eu já tinha com ela, perguntei o que estava acontecendo. Ela me relatou que aquele era o seu primeiro dia de trabalho, depois de quatro meses de licença maternidade que passaram voando! Sim, o seu pequeno bebê, o primeiro, teve que ficar sob os cuidados de alguém, pois ela havia retornado ao trabalho. Ah, como ela sentia falta de estar com ele.

Claro que com o tempo ganhamos maturidade, pelas experiências que a vida nos proporciona. Me casei apenas aos 29 anos e tive a minha primeira filha aos 33. Como meu marido e eu já eramos maduros, fizemos todo um planejamento para que a maternidade chegasse de forma tranquila - mão sabíamos que não é possível prever o que a maternidade nos iria trazer. Então, resolvi deixar o meu emprego de período integral, optando por dar aulas em faculdades e outras instituições de ensino, justamente por me permitir trabalhar menos e ter horários mais flexíveis. Mas essa não é a realidade de toda mãe. Hoje as mulheres trabalham, complementam a renda familiar. Mas então como tornar esse momento especial mais leve, principalmente para as mamães?

A gravidez é uma fase de descobertas, expectativas e realizações para os pais. Novas experiências são vividas e desafios são superados. Após o nascimento do bebê, toda a família vive uma rotina diferente, sobretudo a mãe, que tem um novo foco de atenção praticamente 100% voltado para filho. Isso sem falar que a nova lei permite que o pai tire também uma licença: a licença paternidade. Na minha época não havia, mas sei que isso faz uma grande diferença na vida da mãe, pois os afazeres são realmente muitos, principalmente nos primeiros meses, em que o bebê depende quase que exclusivamente dela devido a amamentação.

O fato é que exercer o papel de mãe não é tarefa fácil, mas com o passar do tempo as coisas começam a fluir com mais naturalidade e quando ela se dá conta a licença-maternidade está chegando ao fim. E aí voltamos ao início do artigo. Mas saiba que a preparação para essa fase deve começar alguns dias antes e, para que ela seja mais leve e tranquila, Bepantol® Baby, creme antiassaduras da Bayer que se preocupa com a saúde e bem-estar do bebê e da mamãe, dá algumas dicas. Vale mesmo muito a pena conferir:


1) Retome a rotina aos poucos
O tempo mamãe-bebê juntos será menor. Para ir se adaptando, faça atividades sozinha fora de casa, como uma caminhada, ir ao cabeleireiro, ou mesmo reservar um tempinho para as compras de supermercado. Lembre-se, antes de tudo você é mulher e precisa manter a sua auto estima cuidando de si mesma.

2) Procure dormir melhor
O sono é um dos aspectos mais afetados na vida da mãe-profissional de volta à rotina. Mesmo em casa, comece a dormir e acordar no horário dos dias úteis para regularizar o ritmo do organismo. Sei que nem sempre isso é fácil, porque os bebês podem acordar várias vezes a noite. Mas a partir dos quatro meses alguns bebês já dormem praticamente a noite toda, o que é muito bom.

3) Escolha da escolinha, creche ou babá!
Escolher um local ou pessoa de confiança para cuidar do bebê é essencial para deixar a mãe e o pai mais seguros. Defina previamente a melhor opção e comece a adaptação aos poucos, deixando o bebê por pequenos períodos, até deixá-lo em período integral. Essa é a fase de adaptação não só dos pais como também dos filhos.

4) Não se sinta culpada!
Se a mãe opta por retornar ao trabalho é porque essa é a melhor escolha para toda a família. Portanto, NÃO se culpe por não estar mais 24 horas por dia, 7 dias na semana na rotina do bebê. Esse é o momento para isso acontecer e será benéfico para todos. O contato do bebê com outras pessoas vai contribuir para o desenvolvimento dele e a mãe pode estabelecer novos relacionamentos profissionais que serão importantes nesse processo.


Sobre a Linha Bepantol® Baby
Sempre pensando no bem-estar da mãe, do pai e, claro, dos bebês, a Bayer oferece Bepantol® Baby, creme antiassaduras que vai além dos antiassaduras comuns. Aqui uso até hoje! O creme tem fragrância super leve e não é "melequento", e o melhor, sai com facilidade no momento da troca, usando o lenço ou a toalha umedecida. Sua fórmula é única, livre de conservantes e agentes irritantes, forma uma barreira transparente que deixa a pele delicada do seu bebê respirar, mantendo-a sempre saudável. Possui Lanolina, que forma uma barreira protetora transparente no bumbum, e Pró-Vitamina B5, que penetra na pele do bebê deixando-a mais resistente contra assaduras. Além disso, Bepantol® Baby é livre de perfumes, corantes e parabenos que podem sensibilizar a pele delicada do bebê.



Bepantol® Baby, proteção para a pele que mais precisa.

Preço médio sugerido de Bepantol® Baby: 
30 gramas – R$ 19,90;
60 gramas – R$ 35,90; 
100 – R$ 50,90

Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre muito bem vindo!

Google+ Followers

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários