Você sabe a real importância do creme antiassaduras no cuidado com a pele dos bebês?

Algumas coisas só paramos para pensar depois que nos tornamos mães de segunda viagem. É mais ou menos algo do tipo "caiu a ficha" sabe?

No hospital eles ensinam muitas coisas, as essenciais, e claro que isso faz muita diferença. Ensinam a dar banho, a fazer a higienização do bebê, a cuidar do umbigo (que creio eu seja uma das coisas que mais preocupam as mães), a pegada do bico para a amamentação. Mas depois que você sai do hospital, é com você!

Na verdade a preocupação dos pais começa desde o período da gestação, e isso é óbvio! Nós queremos zelar pelo bem-estar de nossos filhos e isso vai acontecer por toda a vida, até o momento que partirmos dessa vida que estamos. Eles serão sempre o principal motivo de nossa existência, nossas eternas crianças, nossa fonte de inspiração e também de preocupação. Porém, assim que eles nascem, seja o primeiro, o segundo, terceiro ... os cuidados se redobram, pois, como ainda são muito pequenos e indefesos, necessitam de muita atenção para crescerem saudáveis. E, nos primeiros anos de vida, uma parte do corpo que requer muito cuidado é a pele, que está mais suscetível a alergias e irritações por ser bastante sensível e delicada.

Imagem: reprodução

Achei tão estranho quando me orientaram no hospital a fazer a higienização usando gaze ao invés de lenços umedecidos no primeiro mês. Mas entendi que era melhor devido ao composto químico, já que os lenços possuem agentes que poderiam irritar a pele sensível do bebê. Então eu usava gaze molhada em água filtrada. Mas uma coisa me falaram: use um creme antiassadura, porque você não tem ideia da dor que o seu filho pode sofrer se ele ficar assado! Escolha um creme que não seja grudento, que seja fácil de remover, de preferência sem fragrância ou com perfume bem leve e suave. Já vi algumas pessoas usando maisena, mas essa não foi a recomendação que recebi. Se se alguém quiser saber a minha opinião, eu não recomendo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), estima-se que até os 2 anos de vida, 25% das crianças sofrerão com assaduras – inflamação causada pelo contato prolongado da pele com as substâncias presentes nas fezes e na urina que ficam na fralda e que podem agredir a pele delicada do bebê. Eu tenho uma filha de 2 anos e outra de 5 anos e elas NUNCA sofreram disso. Então, não sei como é ter uma criança com assadura. 

Uma vez a minha filha mais velha desenvolveu um alergia um pouco acima do bumbum, e a levei na dermatologista. Ela passou um remédio e logo ela ficou ótima. Não era a fralda, era uma alergia do calor, que com o uso da fralda, que abafava o local, dificultava o processo de tratamento. Nesse momento a médica, que é bem conhecida e conceituada na minha cidade, me relatou que uma de suas filhas teve assadura e que ela sofreu muito, pois mesmo sendo dermatologista, não podia fazer muito, pois o processo de tratamento é demorado e que realmente doia demais. E ela chorava junto com a filha, porque mesmo com todo o seu conhecimento ela nada podia fazer. Então ela disse: o melhor remédio é a prevenção!

Hoje eu trago aqui esse artigo justamente para falar desse assunto tão importante. Ver um filho sofrendo é sofrer duas vezes e mãe nenhuma quer isso! Então trabalhe na prevenção. O ideal é fazer a higiene completa da região íntima do bebê com água morna e algodão (eu prefiro gaze porque algodão deixa aqueles fiapinhos sabe?), removendo delicadamente eventuais resquícios de fezes, urina, pomadas e outras secreções. Depois aplique um bom creme ou pomada antiassaduras. Por aqui eu uso o Bepantol® Baby, que é um creme preventivo com fórmula pura e livre de agentes irritantes, após cada troca de fralda. Ele tem um perfume bem suave e o que eu acho mais legal é que ele não tem aquela textura grossa, então é fácil de espalhar e de remover na próxima troca de fraldas.

Ainda citando este fator, trocar a fralda sempre que parecer cheia também ajuda bastante nessa prevenção. Isso porque a região fica mais favorável ao aparecimento das assaduras quando fica muito tempo exposta à umidade e ao calor. Portanto, é importante manter a pele do bumbum do bebê sempre limpa e seca para ficar longe desse tipo de inflamação.

Ao escolher o antiassaduras ideal para a pele do bebê é importante levar em consideração alguns pontos. E para poder levantar esses pontos e deixar um texto bem bacana e explicativo eu contei com a ajuda da Bepantol Baby:


Saúde para a pele do bumbum do bebê
Quanto menor a quantidade de componentes como fragrâncias e aromas na fórmula de um produto infantil, menor a chance de desencadear alergias no bebê, sobretudo em crianças que já possuem algum histórico de intolerância. Bepantol® Baby é amplamente recomendado, pois oferece um cuidado a mais para os bebês com sua fórmula única e pura, livre de conservantes e agentes irritantes, como fragrâncias, corantes e conservantes.



Abafar a pele do bebê contribui para o aparecimento de assaduras.
Escolher produtos preventivos que protegem e hidratam a pele, sem grudar e que saem facilmente a cada troca, são fatores muito importantes para a escolha do creme antiassaduras. Bepantol® Baby cria uma camada transparente e protetora sobre a pele do bebê, favorecendo a respiração da região, de modo que não fique abafada, mantendo-a sempre saudável.


O produto ainda contribui para a restauração natural da pele. Fácil de ser aplicado e removido, Bepantol® Baby não agride o bumbum dos pequenos na hora da troca de fralda e não mancha as roupas.


O mais bacana é que conforme seu bebê vai crescendo ele vai usando menos e, pensando nisso, a Bayer disponibiliza o produto em várias gramaturas diferentes:


30 gramas – R$ 19,90;
60 gramas – R$ 35,90;
100 gramas  – R$ 50,90.
Preço médio sugerido de Bepantol® Baby


Para mais informações sobre Bepantol Baby, acesse http://www.bayer.com.br.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre muito bem vindo!

Google+ Followers

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários