Para refletir: Por que julgar é fácil?


Esses dias me aconteceu um fato que me fez parar não apenas um minuto ou dois para refletir, mas alguns dias. Quem nunca fez algo achando que era bom, que ia deixar uma pessoa feliz e foi julgada ou criticada por isso, e pior, sem ao menos ser perguntada sobre o seu lado da história? Eu fiquei chateada, triste e o fato me fez parar não apenas para refletir mas para escrever esse post e tentar assim distribuir um pouco de amor para juntos construirmos um mundo mais amoroso, onde as pessoas julguem menos, olhem mais para suas falhas e façam mais pelo próximo.


Começo a reflexão com um trecho da Bíblia Sagrada, Mateus 7: 
"1Não julgueis, para que não sejais julgados. 2Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida que usardes para medir a outros, igualmente medirão a vós. 3Por que reparas tu o cisco no olho de teu irmão, mas não percebes a viga que está no teu próprio olho? 4E como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? 5Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho de teu irmão."

Então me respondam, por que julgamos tanto?

Olhamos ao redor e ao vermos uma garota com uma roupa extravagante já pensamos "a camiseta está comprida ou é o vestido que está curto?". Mas ai vamos a missa, e durante a reflexão do evangelho ficamos reparando na roupa ou nas pessoas da igreja ou pior, muitas vezes ficamos fazendo fofoca. Vejam! Não estou generalizando, estou colocando situações isoladas e totalmente opostas justamente para refletirmos. Olhar as falhas dos outros é sempre mais fácil do que parar e olhar as nossas próprias falhas não é? Ah, e isso pode dar medo! Quem é que no passado não fez algo do qual se envergonha ou se arrepende? Mas algo o levou a isso certo? Gostaria de ser julgado? Alguém tem esse direito?

Como professora sempre dizia aos meus alunos para nunca julgarem ninguém. NINGUÉM! Porque não estamos na pele dessa pessoa, não passamos pelas dificuldades ou vivemos a vida dela para sabermos o tamanho do fardo que ela carrega. 

Imagine uma cena: Você, sendo mãe como eu, vendo seu filho precisando de remédio. Desse remédio depende a vida do seu filho e o SUS não o tem para disponibilizar naquele momento de extrema urgência. Será que você pediria dinheiro na rua? Faria uma vaquinha? Choraria para o dono da farmácia? Tentaria roubar? Ética e moral caminham juntas, orgulho todo mundo tem, mas quando temos necessidades básicas não supridas tudo vira um caos. E não é por isso que tem gente que vive morando nas ruas, pedindo esmolas? Só por isso são "vagabundos"? Ou será que lhes faltaram oportunidades? Cabe a você julgar? Você se sentou ao lado dele, ouviu a sua história de vida, ou simplesmente subiu o vidro do seu carro quando ele se aproximou vendendo um doce no semáforo?

Por um mundo mais compreensivo, de mais amor e menos julgamento!

Deixe o seu ponto de vista nos comentários. Pode parecer que não vai ajudar em nada. Um andorinha sozinha não faz verão, mas se todos se comprometerem a melhorar um pouco, juntos somos mais!

Esse texto foi escrito por mim e expressa a minha opinião pessoal. Proibida reprodução total ou parcial.

Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre muito bem vindo!



Instagram

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários