Sobre ser Mãe




A palavra Mãe deveria ser escrita, sempre, com letra maiúscula. Nobre pela essência, a mãe não é aquela que carrega o bebê no ventre por nove meses, mas aquela que acompanha o desenvolvimento do seu filho ou filha, e que não mede esforços para fazê-lo feliz e torná-lo uma pessoa de bem.

Mas quem foi que disse que essa tarefa é fácil, ainda mais nos dias de hoje? Outro motivo para escrever Mãe com letra maiúscula! Mesmo a mulher trabalhando fora - porque mãe trabalha muito em casa - grande parte das tarefas ainda ficam a cargo dela: cuidar da roupa, preparar a comida, deixar a casa sempre em ordem. Isso sem falar no lanche da escola, o levar e buscar, entre outras coisas. Não se pode negar que a maternidade pesa muito mais para a mulher do que para o homem, mesmo com toda a evolução que os fizeram participar mais do dia-a-dia dos pequenos (homens por favor não se ofendam, mesmo porque toda regra tem uma exceção!)

O desafio é tão grande, que os medos da maternidade chegaram, no meu caso, ainda na gestação. Era comum eu ver algumas mamães totalmente extasiadas pelo momento, pintando ou um mundo rosa ou um mundo azul. E eu, muitas vezes ficava angustiada e com medo da incerteza: como criar o meu filho em meio a um mundo violento, onde não há igualdade social e de direitos? Sim, eu sofri e sofro. Criar um filho é uma responsabilidade tão grande, que não nos permite viver nas nuvens! A realidade chega, e as vezes de forma cruel como a falta de dinheiro para poder comprar o leite ou a fralda, ou mesmo fazer um enxoval. Esse pode até não ser o meu ou o seu mundo, mas acredite, ele é o mundo de muita gente!

E não eu poderia jamais deixar de falar nelas: as MÃES solteiras. Para me referir a essas mães eu escrevo com todas as letras em maiúsculo. Eu sou casada e o meu marido me ajuda muito, e mesmo assim eu sinto o peso da maternidade. Então, reflito muito sobre os casos das mães que possuem papel duplo, a de mãe e a de pai. Eu tiro o meu chapéu para essas guerreiras!

A maternidade chega muitas vezes com uma escolha bem difícil: continuar trabalhando fora, para ajudar nas despesas da casa, ou dedicar-se exclusivamente ao filho(a)? Decisão difícil não é mesmo? Confesso que eu no início eu pensei sim em largar tudo e me dedicar 100% a profissão mãe. Mas, essa não foi a minha escolha. Me sinto privilegiada por ter uma emprego com horário flexível e assim pode me dedicar a família e ao trabalho. Hoje eu sei como isso é importante às mulheres.

Não sou uma mãe expert e muito menos a melhor das mães. E, se vocês já experimentaram a maternidade, sabem muito bem do que eu estou falando. Mas, se vocês passam pela primeira gestação, que tal conferir o guia com as principais dúvidas? Ela foi elaborada baseando na minha experiência e na de outras mamães sobre as verdades da maternidade.

Sim, cansa! Não é um canseira mental e sim física. É um canseira diferente, daquelas que ao final do dia você se deita no sofá, pensa "como isso é bom", e não deixa de ficar feliz e satisfeita com o seu trabalho - o de criar o seu filho da melhor forma. 

Quando a maternidade chega pela primeira vez, ela vem repleta de angústias e medos. Mas evite pensar sobre isso o tempo todo. A maternidade lhe dará sabedoria e experiência para encontrar o caminho certo. Não existe uma mãe perfeita, existem mães que erram tentando acertar, na certeza de fazer sempre o melhor para o seu filho(a).

Na verdade as mães são realistas. Elas pensam no futuro dos filhos, o que muitas vezes as deixam angustiadas, nervosas e preocupadas. Mas confie, o mundo só vai mudar se você fizer alguma coisa a respeito. E tem mais, comece educando o seu filho bem, com valores éticos e morais.

Só você vai encontrar essa resposta. Ela depende, principalmente, do quanto a sua família precisa do seu salário. Algumas mães não tem opção e precisam trabalhar mesmo. O que vale sempre é a reflexão do custo e do benefício. Se o seu desejo for trabalhar fora, você terá que colocar na ponta do lápis os custos com escola ou babá (muitas vezes em período integral), transporte, material, uniforme, lanche. E se você tiver dois filhos multiplique os custos por dois. No final você vai ver que dependendo do seu salário vai compensar largar o trabalho para cuidar dos filhos. Além do mais, algumas coisas não tem preço, como ver o seu filho dar os primeiros passos, falar as primeiras palavras. Decisão difícil!

Para finalizar não poderia deixar de mencionar um ponto importante: a mãe também é mulher! Sentir-se amada, desejada e útil faz um bem danado para o ego. Então não deixe de namorar, de se maquiar, de se cuidar. Reserve um tempo só seu para ir ao shopping com as amigas, colocar o "papo" em dia - nem que seja para falar dos filhos. Você verá que isso faz um enorme bem!

Espero que vocês tenham gostado da matéria. Deixem nos comentários suas dúvidas, sugestões ou mesmo críticas.

Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

6 comentários:

  1. AMEI a matéria. De verdade! Que texto mais lindo <<3
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
  2. Acho que ser mãe é um dos trabalhos mais dificeis e gratificante que tem.
    Apesar de que eu ainda não sou mãe, tenho vários filhos adotivos (primos, irmãos ) e sei o trabalho que dá.

    Beijos
    www.amorascomclasse.com

    ResponderExcluir
  3. Ser mãe realmente é vantajoso! rs

    http://www.papodemeninasaer.com/
    @blogpapodemeninas

    ResponderExcluir
  4. Realmente ser mãe não é facil. Mas é presente dado por Deus. Amei o post

    Amanda Souza
    www.comoutrosolhos.com

    ResponderExcluir
  5. Ariane, que texto lindo. Sem palavras pra comentar...
    Eu sou Mãe, e busco ser a melhor que eu posso ser. São tantos erros e acertos, dificuldades e aprendizados... a vida é surpreendente, e ser mãe é o melhor presente que ela poderia nos conceder!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Essa matéria é sua?
    gostaria de publicá-la em meu blog de bebês...

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre muito bem vindo!

Google+ Followers

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários