Como gerenciar melhor o seu tempo

foto: reprodução


No filme o Feitiço do Tempo, o protagonista surpreende-se preso em uma armadilha temporal: um mesmo dia começa a se repetir. O que no início se mostra como algo até libertador - nunca ter de prestar conta dos atos - transforma-se paulatinamente na mais perversa das penitências. O protagonista é forçado, então, a refletir sobre sua existência, aproveitando melhor o tempo que está sendo obrigado a reviver. Ao fazê-lo, liberta-se do castigo, e, finalmente, vê nascer um novo dia.

Entre outra reflexões, o filme traz à tona a importância do ser humano saber lidar com as acontecimentos para extrair deles o melhor resultado possível. Nesse sentido, a psicóloga Fernanda Tochetto dá algumas orientações para quem se mostra angustiado com as tarefas do dia a dia, por ter pouco tempo para levá-las a cabo, ficando sempre com a sensação de que algo está por faltar.

Segundo a psicóloga, o primeiro passo no intuito de acabar com essa agonia é prestar bastante atenção no próprio cotidiano, a fim de entender o que realmente está tirando foco das atividades essenciais. “Monitore-se, desde a hora que acorda, até a hora que vai dormir. O ideal é fazer isso durante uma semana inteira”, destaca.

Um dos modos de tornar mais prático esse monitoramento é através de uma agenda (as novas tecnologias podem ajudar aqui). Nela, deve-se colocar todas as atividades realizadas durante o dia, assim como o tempo gasto com cada uma, sempre tendo em vista quais são as prioridades. Assim, fica mais fácil perceber se há muitas horas despendidas com atividades que não são tão importantes assim.

Após mapear e encontrar o problema, parte-se para a próxima etapa, que é, segundo Tochetto, programar o funcionamento, de maneira ideal, da rotina, traçando o passo a passo para aproveitar do modo mais eficiente as 24 horas do dia. Assim, é possível que as pessoas se deem conta de que algumas atividades podem facilmente ser descartadas, já outras, imprescindíveis, estão sendo mal administradas.

Um modo de otimizar as tarefas essenciais é dividir sua realização em etapas, fazendo um pouco a cada dia. Caso isso não seja possível, pense em delegá-las a outros. Conforme a psicóloga, algumas pessoas têm dificuldades em fazê-lo, por tenderem à centralização, acreditando que apenas se feitas por elas as atividades surtirão o efeito desejado. “Achar que só você é capaz de fazer o que precisa ser feito limita o crescimento e as oportunidades”, afirma Tochetto.

Entre as atividades que são essenciais para sua rotina no trabalho ou dentro de casa, determine as prioritárias. Ante isso, estabeleça prazos de entrega. Obviamente, as tarefas mais importantes deverão ser cumpridas antes das menos importantes. Para não se esquecer o prazo e a atividade prioritária, lembretes pela casa, por exemplo, podem ser de muita utilidade. Estabelecer recompensas também é um artifício que pode ajudar no cumprimento das atividades dentro do prazo estipulado.

Para que as atividades necessárias a um aproveitando mais eficaz do dia sejam colocadas em prática nos prazos estabelecidos é imprescindível a manutenção do foco. Assim, todo estímulo que dispersa do objetivo principal deve ser detectado e eliminado. “Acabamos por não perceber o que está acontecendo ao nosso redor, aquilo que nos tira o foco. A internet, por exemplo, nos chama, seus conteúdos nos prendem a todo o momento”, explica Tochetto.

Diante das constantes diversões que permeiam o cotidiano, é preciso resistir à tentação de postergar a atividade essencial e começar a fazer outra coisa menos útil. De acordo com a psicóloga, isso pode se tornar um péssimo hábito que destrói a performance do indivíduo. “Ele começa a deixar para amanhã, mas o amanhã nunca chega e vira procrastinação, acúmulo de tarefas que a pessoa não consegue mais dar conta”, diz.

Nesse sentido, outra ação que pode ter o mesmo efeito a também deve ser evitada, segundo Tochetto, é estabelecer exceções às regras, permitir a realização de atividades que não fazem parte do cronograma e que podem não ter uma resolução a curto prazo, tornando mais difícil alcançar o objetivo primordial. “Tal ação pode destruir equipes, negócios e metas”, afirma a psicóloga.

Por fim, a pessoa que deseja utilizar melhor o seu tempo, não pode subestimar o poder do descanso. Seja durante o trabalho, materializado em uma pausa para o café ou para fazer um lanche. Seja após um dia árduo de trabalho, através de práticas esportivas ou outras atividades de lazer, como ver um filme com a família.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre muito bem vindo!

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários