Combatendo a obesidade infantil


As vezes eu olho pra pequena Lara e me pergunto: "se ela come tanto - e sim a alimentação dela é bastante saudável - porque será que ela não é fofinha? Pelo tanto que ela come deveria ser gordinha!" Lendo sobre um dos assuntos em alta no momento, a obesidade infantil, me dei conta de que ela não engorda por alguns motivos, como o biotipo genético, mas também porque queima muita caloria. Ela não para um segundo o dia todo.

Ao contrário de anos atrás, as crianças dessa geração estão cada vez mais sedentárias. As mães acabam levando os filhos de carro à escola, quer por praticidade ou por segurança. Os dias cada vez mais corridos, levando ainda em consideração que hoje muitas mulheres trabalham fora, acabam muitas vezes por impedir que se estabeleçam rotinas fundamentais como a hora das refeições e a do soninho. Some a isso ainda o fato da insegurança e da violência, que nos impede de deixar os filhos brincarem livremente na rua, e tecnologia que nos faz presentear os pequenos com tablets e vídeo games. Ah, que saudades do meu tempo!

Segundo a nutricionista Dra. Roseli Ueno Ninomiya, atualmente há milhares de crianças que sofrem de problemas de sobrepeso e obesidade, que trazem como consequência o aumento do colesterol, triglicerídeos e risco para o diabetes e pressão alta. Confira algumas dicas para passar longe desse mal.



Como estimular a criança a ter uma alimentação saudável?
A regra parece simples, mas como mãe eu sei que não! A alimentação não precisa ser sofisticada e sim balanceada, com alimentos nutritivos como verdura, legumes, grãos, carne, peixe, ovos e frutas. Por aqui por exemplo, a Lara ama legumes e verduras mas não come nada de frutas. Damos o exemplo, e todos os dias pico as mais variadas frutas mas ela reluta. É preciso ter paciência e persistir. Vale lembrar que o que diferencia uma boa alimentação não é a quantidade e sim a variedade.

Qual o papel da hidratação no combate à obesidade infantil?
Na hora de hidratar vale água e sucos naturais, além de água de coco e chá. Passe longe de sucos industrializados ou de refrigerantes.

Sal e gordura também são vilões. Como escapar deles?
Nunca abuse do sal! Se possível diversifique o tempero usando ingredientes naturais como salsa, cebolinha, manjericão, coentro, orégano, alho e cebola. Diminuir o sódio é fundamental para evitar problemas de pressão alta. Evite também comprar ou preparar alimentos ricos em gordura como coxinha, pastel ou batata frita.

A chave de tudo está na família, pois são os pais que irão conduzir os filhos na alimentação saudável. Vale lembrar que os filhos nos tem como exemplos e tendem a nos imitar. Portanto, o sucesso dessa dura missão só depende de nós.

E a alimentação do seu filho, como está? Compartilhe nesse espaço!



Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

2 comentários:

  1. ótimo post!!! acho que todos devemos nos preocupar com a alimentação, uma vez que o planeta está cada, vez mais, gordo!!
    bjs

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre muito bem vindo!

Google+ Followers

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários