Como o flúor ajuda a prevenir a cárie



Segundo o estudo Richards D, 20131, a cárie é uma das condições mundiais mais prevalecentes do mundo, afetando 2,4 bilhões de pessoas, o equivalente a 35% da população mundial. Considerada uma deterioração dos dentes, ela tem forte relação com o estilo de vida, envolvendo a qualidade da alimentação, a quantidade de água ingerida e os hábitos de higiene oral.

Mas, como a cárie se forma e de que maneira os hábitos de higiene bucal interferem diretamente no seu desenvolvimento? Primeiramente, é preciso lembrar que os dentes são compostos por minerais, parte orgânica e água. "Certos tipos de bactérias presentes na cavidade bucal fermentam o açúcar e outros carboidratos comuns nas dietas alimentares, produzindo ácidos que podem iniciar um processo de dissolução, desmineralizando o esmalte dos dentes e deixando-os mais vulneráveis à incidência da doença cárie ”, afirma o dentista José Pelino.

O flúor atua como um item importante para prevenir esta desmineralização, fazendo com que o esmalte fique mais resistente ao ataque dos ácidos. "O flúor está presente em muitos produtos de higiene bucal e alimentos que ingerimos no dia a dia, variando sua concentração e forma de apresentação. Ele pode comumente ser encontrado nos cremes dentais e enxaguatórios e na própria água que se consome. É importante mencionar que podem existir situações em que a pessoa tenha a indicação de complementação de flúor feita pelo cirurgião- dentista de acordo com a necessidade individual, auxiliando diretamente em tratamentos curativos e preventivos ”, comenta Pelino.

Exatamente por estar presente em pastas de dentes e enxaguatórios bucais, é importante criar, desde a infância, o hábito dos três passos da higiene bucal, combinando a escovação, o uso do fio dental e o enxaguatório. O uso da escova e fio dental alcança apenas 25% das áreas da boca2, enquanto o uso combinado da escova, fio dental e enxaguatório alcança até 100% dessas áreas, eliminando até 99%3 dos germes que causam placa, gengivite e mau hálito. Além disso, o enxaguatório que contém flúor ajuda na prevenção de cárie, criando uma reserva de flúor na saliva e na placa, levando-o a todos os cantos da boca.

Mas, e a fluorose dentária? Esta alteração que ocorre no esmalte e na dentina do dente durante sua formação é causada pela ingestão de uma grande quantidade de flúor, porém, não é motivo de alarde. "O uso de enxaguatório bucal com flúor não causa fluorose, pois é utilizado somente para bochechos, não sendo engolido, além do mais a idade mínima (a partir dos 6 anos para as versões sem álcool e 12 anos para as versões com álcool) praticamente inviabilizam a ocorrência de fluorose, pois a estrutura dentária já está praticamente formada nesta idade”, finaliza o especialista.

A importância dos óleos essenciais

Diversos produtos para o cuidado com a saúde bucal contêm óleos essenciais, como mentol, timol, salicilato de metila e eucaliptol. “Sem evidências de efeitos adversos, quando utilizados na posologia correta, promovem o rompimento parede celular das bactérias, facilitando sua destruição”, afirma Pelino.

A penetração profunda na placa bacteriana com um bochecho contendo óleos essenciais pôde ser comprovado durante um estudo de Microscopia Focal4, realizado pela Johnson & Johnson. Nele, os pesquisadores examinam as imagens microscópicas de bactérias após um bochecho de 30 segundos com óleos essenciais, mostrando a eficácia e superioridade em relação aos demais princípios ativos avaliados.

Além disso, um estudo clínico conduzido por Sharma et al., 2004 5, demonstrou uma redução adicional de placa e gengivite em pacientes que usaram um enxaguatório contendo óleos essenciais após escovação e uso do fio dental quando comparado aos que apenas escovam e usam o fio dental.

“As técnicas de microscopia confocal e de varredura são equipamentos que fornecem uma visão amplificada e detalhada dos germes encontrados no biofilme e permite a observação frente a diferentes produtos”, comenta Pelino.

Por meio deste estudo4, observou-se que enxaguatórios com óleos essenciais possuem um mecanismo bactericida, promovendo uma penetração mais fundo no biofilme, atingindo as bactérias mais internas e inibindo as atividades enzimáticas sem perturbar a flora oral6, diminuindo a ação das bactérias e reduzindo o crescimento da placa.

1- Richards D. Evidence Based Dentistry (14, 35: 2013),
2- Kerr et al. The areas of various surfaces in the human mouth from nine years to adulthood. J Dent Res. 1991 Dec;70(12):1528-30
3- Estudo in vitro/Dados em archivo
4- T.FOURRE ET AL. 2013 IADR #2264
5- Sharma N et al. JADA, Vol. 135 April 2004
6- Minah GE, DePaola LG, Overholser CD, Meiller TF, Niehaus C, Lamm RA, Ross NM, Dills SS. Effects of 6 months use of an antiseptic mouthrinse on supragingival dental plaque microflora. J Clin Periodontol. 1989 Jul;16(6):347-52.
Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre muito bem vindo!



Instagram

Arquivos

Dados do blog

Dias online
Postagens
comentários